Depois de várias derrotas no tribunal, a Comissão Arbitral Paritária acabou por dar razão ao Sporting no caso contra o FC Porto da contratação de Moutinho ao Mónaco. Tal como diz o site “Maisfutebol”, depois de vários recursos, o Sporting vai ter direito a receber 660 mil euros da SAD portista, depois do FC Porto se ter negado a dar 3,5 milhões de euros ao rival após ter vendido o jogador português ao Mónaco. Ainda assim, e apesar de ser uma vitória importante, Bruno de Carvalho e a sua direção não estão satisfeitos e pretendem mais.

As lutas judiciais protagonizadas pelo Sporting continuam, mas agora o acusado não é o Benfica e sim o rival do norte de Portugal, o FC Porto.

Publicidade
Publicidade

Tudo começou quando o FC Porto, e ao contrário do que tinha combinado com o Sporting, não pagou os 25% que o Sporting tinha direito dos 25 milhões de euros que o FC Porto conseguiu com a venda de Moutinho.

O clube portista garantia que, ao invés dos 3,5 milhões que representariam os tais 25%, o Sporting só tinha direito a 1,7 milhões, por alegadamente ter sido subtraídos vários custos que a transação esteve sujeita. Segundo informa o site “Maisfutebol”, o Sporting desde o primeiro minuto que não aceitou essa desculpa dada pelo rival, tendo agora conseguido receber mais 660 mil euros em tribunal, um montante que ainda fica longe de totalizar os 3,5 milhões pretendidos por Bruno de Carvalho.

Contudo, o valor dessa multa não está agradando a direção do Sporting que avançou novamente com outro recurso sobre esse valor, após o FC Porto ter anunciado que não tinha problemas em pagar esses 660 mil euros ao rival.

Publicidade

Assim, e tal como está acontecendo nos gramados portugueses, com a disputa pelo Campeonato Português mais intensa que nunca, também os processos em tribunal estão aquecendo cada vez mais a rivalidade entre o Sporting e os seus dois rivais, principalmente o Benfica.

Em uma altura em que o Sporting anunciou um prejuízo de 18 milhões nos últimos meses de 2015, essa vitória em tribunal pode ser importante para o clube, que tem atualmente muitos processos abertos. #Negócios #Justiça