Desde junho de 2015 está valendo a nova fórmula de cálculo das aposentadorias do INSS, conhecida como 85/95, por ser a soma dos números da idade e tempo de contribuição respectivamente entre mulheres e homens. O primeiro 'balanço' realizado pelo  Ministério do Trabalho e Previdência Social (MTPS) após a atribuição da regra 85/95 gerou uma renda extra de R$ 1.012,41 aos novos aposentados.

A nova regra foi apresentada pelo Governo Federal como alternativa ao complexo e questionado 'fator previdenciário'. O MTPS afirmou que desde junho de 2015, marco inicial da nova regra, até fevereiro deste ano o Brasil ganhou mais 58.325 aposentados.

Publicidade
Publicidade

O valor médio de renda dos aposentados pela regra 85/95 foi de R$ 2.792,29, enquanto os que optaram pelo fator previdenciário ficaram com a média de ganhos em R$ 1.779,88. Dessa diferença surgiu os R$ 1.012,41 (57%) ganhos a mais pelos aposentados que fizeram a escolha pela regra 85/95, já a média geral de ganho salarial dos aposentados ficou em R$ 2.169,36.

Segundo Adriane Bramante, advogada especializada em direito previdenciário, a opção pelo fator previdenciário gera em media um prejuízo de 30% quando comparado a regra 85/95. Já para Marcus Bacellar, outro advogado da mesma área, escolher a opção 85/95 não é necessariamente garantia de ganho maior.  "Cada caso deve ser avaliado levando-se em consideração a situação de particular do assegurado", recomendou Bacellar.

O fato é que a #Crise econômica tem agravado e promovido uma forte queda na arrecadação da União.

Publicidade

Em diversos pontos estão sendo estudadas e implementas medidas de contingenciamento de recursos para gerar economia aos cofres do governo, como a negociação das dívidas com os estados e as propostas que preveem cortes de investimento no funcionalismo e até a demissão de servidores federais, como a PLP 257/2016 que tramita na Câmara dos Deputados com pedido de urgência.

A regra 85/95 varia com o tempo e está projetada para os que irão se aposentar até 2027. Após esse ano os aposentados passarão para uma nova fórmula denominada 90/100 considerando a soma entre as mesmas variáveis de idade e tempo de contribuição, respectivamente entre mulheres e homens. #Finança