Os políticos e pessoas influentes que pedem a saída da Presidente #Dilma Rousseff atribuem a fraca economia, alta do desemprego e rombo nas contas públicas como suficientes para classificar o governo como "deplorável". Durante a votação do #Impeachment de Dilma neste domingo, 17, pela Câmara dos Deputados, muitos deputados se referiram a esta segunda-feira como sendo "um novo dia para o Brasil". Não está sendo.

Apesar na reviravolta política, até agora pouco mudou na situação econômica. Enquanto este artigo estava sendo redigido (por volta do meio-dia), o dólar apresentava alta de 1,78%, vendida a R$ 3,587. A Bolsa de Valores (Ibovespa) também está sofrendo.

Publicidade
Publicidade

Com 52.953,47 pontos, o principal índice do país cai 0,52%.

No início do dia, alguns meios de comunicação anunciaram que a moeda estaria despencando, mas foi preciso só uma leve atuação do Banco Central para que o quadro se invertesse. Esses números contrariam a previsão do mercado, pois dão a entender que os investidores não estão tão confiantes de que, se Dilma Rousseff for retirada à força do cargo que ocupa, o Brasil vai melhorar.

Redes Sociais

Na internet, "O Dólar" ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter. A maioria eram de pessoas que zombavam dos opositores ao governo, que dizem que a queda de Dilma é a "salvação da pátria". Ontem, logo depois do fim da votação, um dos internautas ironizou: "Amanhã teremos o dólar a 1 real e 10 milhões de vagas de emprego".

Processo de Impeachment

A Câmara dos Deputados votou a favor do prosseguimento do processo de impeachment da Presidente Dilma Rousseff para o Senado.

Publicidade

Foram 367 votos pró-impedimento contra apenas 137 a favor do governo. Na ocasião, transmitida em rede nacional pelas principais redes de televisão do país (a exceção foi o SBT), chamou a atenção a quantidade de "representantes do povo" que mais pareciam estar em um estádio de futebol, com gritos e confetes.

Como se não bastasse, a maioria dos deputados aproveitou a transmissão para se deleitar em fazer agradecimentos ao pai, mãe, tio, irmãos, sobrinhos, netos e até a cunhada, demonstrando um claro egoísmo em até numa decisão tão importante para o Brasil, querer aparecer e exaltar a sua própria família. Deus, talvez mais preocupado com as vítimas do terremoto no Equador, também foi importunado por uma série de gente que não cansou de usar o seu nome em vão, ainda mais dentro de um recinto em que reina a hipocrisia, mentira e falta de bom senso - coisas detestáveis por ele, segundo a Bíblia. #Crise-de-governo