As lojas nordestinas Insinuante e Eletro Shopping, a catarinense Salfer e a mato grossense City Lar passam a se chamar Ricardo Eletro já a partir desta segunda-feira, 11 de abril. A união das marcas - feita para fortalecer o poder de abrangência do grupo no Brasil, principalmente em um momento de queda nas vendas - foi anunciada pela controladora das cinco empresas, a Máquina de Vendas.

Nas últimas semanas começaram a surgir campanhas nos principais meios de comunicação do país para anunciar a mudança de marca das lojas que foram incorporadas a Ricardo Eletro. O fundador da empresa, Ricardo Nunes, é o principal porta-voz nos comerciais.

Publicidade
Publicidade

Como num reality-show, acompanhado por câmeras e microfones, Ricardo visitou uma loja da Eletro Shopping no Recife, da Insinuante em Salvador, da Salfer em Joinville, Santa Catarina, e da City Lar em Cuiabá. Ele conheceu funcionários das lojas e aproveitou para explicar um pouco sobre que impacto a fusão terá na vida deles. Conversou ainda com garotos-propaganda conhecidos do público de cada empresa, como Dona Irene, personagem de um canal de humor no YouTube, e que representa a Eletro Shopping no Recife.

Os clientes também foram cumprimentados por Ricardo Nunes, enquanto ele mostra que está determinado a buscar sempre o melhor preço para os seus fregueses.

Um grande investimento está sendo feito em marketing, para que todos fiquem sabendo da novidade. Durante o programa Domingão do Faustão, por exemplo, um merchadising foi feito neste domingo, 10, com a presença de bailarinas do apresentador diretamente das cidades em que cada loja do Grupo Máquina de Vendas foi fundada.

Publicidade

Os intervalos do Fantástico também ganharam inserções publicitárias. Alguns blocos do jornalístico têm até mais de um comercial sobre a novidade.

A Ricardo Eletro comprou a Eletro Shopping, Insinuante, City Lar e Salfer?

Não exatamente. Todas as cinco lojas já eram integradas ao grupo Máquina de Vendas, um dos maiores varejistas do país. Assim como acontece com a Via Varejo, do Grupo Pão de Açúcar, que detém o controle das Casas Bahia, Extra, Assaí Atacadista e Ponto Frio.

O que a Máquina de Vendas fez foi unir todas as marcas em uma só, para aumentar a capilaridade da empresa. Para isso, teve que escolher a que representasse melhor os #Negócios do grupo. A Ricardo Eletro foi a definida para permanecer, em detrimento das demais.

Segundo Ricardo Nunes, presidente da Máquina de Vendas, a mudança não deve trazer demissões ou acarretar no fechamento de lojas. O foco é apenas aumentar o poder de oferta das unidades e, consequente, os seus desempenhos.

Agora, a Ricardo Eletro possui cobertura em 23 estados brasileiros, além do Distrito Federal, com mais de 1 mil lojas. "Finalmente estamos mostrando o plano de sinergia da marca", disse o executivo.

Publicidade

Demissões são feitas

No entanto, apesar da negativa do grande chefe, muitos profissionais dizem que uma leva de demissões estão ocorrendo. Em um momento de #Crise econômica, isso já era de esperar. Com a junção das marcas, locais em que existe duplicidade de lojas acabam acarretando em custos desnecessários.

Para utilizar como exemplo, uma cidade com lojas da Insinuante e Eletro Shopping no mesmo bairro passarão a ser todas da Ricardo Eletro. O que esta última deverá fazer com tantas lojas em seu nome?

Fusão de marcas é tendência

O mercado brasileiro como um todo está passando por uma união de empresas e marcas. Um tempo atrás, o Grupo Pão de Açúcar chegou a veicular uma campanha exibindo suas várias empresas. Foi criado o Movimento #VamoJunto.

No setor de telecomunicações, temos NET e Claro que, em um intervalo exclusivo na abertura do Jornal Nacional deste sábado, 9, reforçaram ao consumidor que são uma só empresa, e por isso são "Gigantes".

Esta semana, mais precisamente entre os dias 14 e 15 de abril, tem outro anúncio de junção de marcas: Vivo e GVT, esta última sendo incorporada a marca de celular. Todos os serviços da GVT começaram a passar por alteração de nome desde o dia 2 deste mês.

#Finança