No domingo, 15, o 'Fantástico' exibiu a primeira entrevista com o presidente em exercício Michel Temer. Na conversa, ele revelou que não pretendia fazer cortes em programas sociais, citando o Minha Casa, Minha Vida e o 'Bolsa Família'. O último deles, no entanto, tem previsão sim de cortes. A informação foi passada pelo novo Ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, em entrevista ao jornal O Globo publicada nesta terça-feira, 17. A previsão é que haja um verdadeiro 'pente fino' no 'Bolsa Família', o que deve levar um desligamento de um entre cada dez pessoas que hoje recebem o benefício do #Governo

Além desse Ministério, o da Educação e Cultura, o MEC, também teve ordem de revisar tudo o que foi publicado no último mês pelo então gestor da pasta, Aloízio Mercadante.

Publicidade
Publicidade

O Ministério agora está sob o comando de Mendonça Filho. Segundo Terra, as mudanças no 'Bolsa Família' devem aprimorar a fiscalizando, pagando realmente a quem necessita receber o benefício. Para isso, dados serão cruzados. Atualmente, 14 milhões de família recebem a ajuda, pois seriam de baixa renda, o que é exibido pelo programa. Caso os 10% se concretizem, cerca de 5 milhões de pessoas parariam se ser ajudadas  pelo 'Bolsa Família', que no início do mês teve um aumento de 9% dado pela presidente afasta Dilma Rousseff. É bom lembrar que mesmo na gestão da petista o programa social não havia tido aumento no ano passado. E neste os 9% foram abaixo da inflação. Ou seja, ela sai do governo pagando bem menos do que quando o programa foi criado. 

Os 10% que deixariam de receber não pertencem a classe  de baixa renda e por isso devem deixar de ser atendidos.

Publicidade

Com o cruzamento dos dados, segundo o Ministro, essa porcentagem pode subir ainda mais. Terra explicou que o número pode chegara 20 ou 30%, mas que a população seria "flutuante", ou seja, depois de um certo tempo poderia voltar a necessitar do programa, voltando para o cadastro. Ele ainda explicou que o desligamento será gradual e quem precisa não será afetado. 

  #Bolsa Familia #Michel Temer