Ilan Goldfajn é formado em economia pela PUC do Rio de Janeiro e tem doutorado pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT), Ilan Goldfajn atuava como economista-chefe e é sócio do Itaú Unibanco.

Por volta das 08h30 desta terça-feira (17), o ministro Henrique Meirelles que comanda o Ministério da Fazenda anunciou Ilan Goldfajn para o comando do Banco Central do Brasil.

Henrique Meirelles diz que mensagem mais importante é que nomes estão sendo anunciados gradualmente, à medida que tem tempo para estudar as áreas e os nomes que vão compor cada uma delas. "Estaremos continuando nos próximos dias a avaliar e tomar decisões".

Publicidade
Publicidade

Embora perca o estatuto de ministro, o foro especial mantém a autonomia de decisão do presidente do BC, afirma Henrique Meirelles.

Ilan Goldfajn, novo presidente do Banco Central, vai coordenar execução da política monetária e cambial, afirma Meirelles. O presidente do BC deixa de ser ministro de Estado, mas prerrogativa de foro especial que é garantido ao ministro será determinada através de proposta de emenda constitucional, que será estendida à diretoria do BC.

Na reunião com centrais sindicais, Meirelles diz que ficou definida uma proposta de reforma da Previdência em 30 dias. O ministro descarta tomar qualquer atitude precipitada. Segundo ele, Marcelo Caetano vai se dedicar às contas da Previdência, trabalhando com Mansueto de Almeida e Carlos Hamilton.

Carlos Hamilton vai ajudar a formular as políticas econômicas, diz Meirelles.

Publicidade

Secretaria de Acompanhamento Econômico vai fornecer a base de dados e avaliação dos componentes de despesas públicas com precisão e tranquilidade, afirma o ministro da Fazenda.

Segundo o ministro, a próxima rodada de decisões será sobre os bancos públicos —Banco do Brasil, Banco do Nordeste, Caixa Econômica Federal e Banco da Amazônia. "Cada um dos gestores será anunciado, que pode inclusive ser a manutenção dos atuais membros ou ocupantes do cargo".

Outro nome irá compor a equipe econômica é o economista Mansueto de Almeida Jr., colaborador do programa de #Governo do candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, será o secretário de acompanhamento econômico. #Finança #Michel Temer