Um dado não muito otimista foi divulgado esta semana pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística): os novos números do #Desemprego no país. De acordo com as informações divulgadas, a taxa de desemprego subiu para 10,9% só no primeiro trimestre deste ano.

De acordo com o professor de Economia, Pedro Vartanian, é classificada como geral a #Crise no mercado de trabalho. Ainda segundo ele, a crise não está concentrada em uma só região, e sim em todas as regiões do país.

Ainda de acordo com os dados do IBGE, a região mais afetada foi o Nordeste. Na pesquisa anterior, a taxa da região era de 9,6% e subiu para 12,8%, um aumento de 3,2%.

Publicidade
Publicidade

Outra região que se destacou foi a Sudeste. A taxa que antes era de 8%, agora são 11,4% o número de desempregados.  A região Norte subiu 1,8%, saltando de 8.7% para 10,5%. No Centro-Oeste o aumento foi de 2,4%, de 7,3% para 9,7%. E por último, o Sul do país também sofreu um aumento significativo, saltando de 5,1% para 7,3%, uma alta de 2,2%.

O Nordeste também se destacou pela alta taxa de jovens entre 18 e 24 anos desempregados. No total 27,4% não estão trabalhando. Em seguida veio a região Sudeste, com 25,5% dos jovens entre a faixa etária citada que estão desempregados.

A explicação para a quantidade de jovens sem emprego, se dá pela falta de experiência profissional, por isso a dificuldade de ingressar no mercado de trabalho. O problema aumenta cada vez que a economia do país e a oferta de emprego estão em baixo crescimento.

Publicidade

Em meio à crise, os jovens acabam disputando a vaga com pessoas mais experientes, o que dificulta ainda mais a contratação dos jovens inexperientes.

Algumas dicas são essenciais para que os jovens se destaque no mercado de trabalho. Uma delas é persistir nos estudos. Se você já completou o segundo grau, o ideal é ingressar rapidamente em uma faculdade. Escolha o curso que mais se adeque a seu perfil e siga em frente. Mas se isso não for possível no momento, procure fazer algum curso técnico. Assim que concluir e começar a trabalhar, poderá pagar tranquilamente sua faculdade e entrar na briga pelas melhores vagas de emprego disponíveis no mercado. Outra dica é ser um profissional polivalente, ou seja, ter habilidade em duas ou mais áreas. Quanto mais conhecimento tiver, mais vagas de emprego você irá disputar. #Crise econômica