O metal mais raro no mundo, Nióbio (Nb), possível maior riqueza do Brasil, enriquece alguns brasileiros privilegiados e países Asiáticos.O Brasil detém 98% da reserva mundial.

Hoje, toda tecnologia de ponta possui nióbio, entre elas: aviação, veículos, armas bélicas, bombas atômicas, construções, e etc.; sendo, em sua maioria, nióbio brasileiro. Estima-se que este minério sai do país a preços de banana e o país perde bilhões. 

Deputada Gorete (PR/CE) possui um projeto de lei PL1581/2015, visando regulamentar a extração e comercialização do nióbio e aumentar o retorno financeiro para o Brasil. Este projeto está parado esperando parecer das Comissão de Minas e Energia (CME) e inclusão da PL4978/2013 de Giovani Cherini, para nacionalizar a extração deste minério.

Publicidade
Publicidade

A CBMM em Araxá/MG é a maior exploradora do país, com 80% da produção nacional e 85% da produção mundial, cerca de 150 mil toneladas, controlando o valor. Em 2012, foram vendidos 30% de seus ativos a países Asiáticos, que fez a aquisição para se precaver do chamado “monopólio do nióbio”. Então como isso aconteceu? Sob a sombra de Aécio Neves e Antônio Anastasia, que silenciosamente autorizaram esta operação bilionária e ilegal, ao consórcio entre Japão, Coreia e China.

Recentemente, em abril de 2016, a empresa Anglo Americana, vendeu por US$ 1,5 bilhão, em dinheiro, as operações de nióbio e fosfato que tem em Goiás para a companhia estatal China Molybdenum Co. (CMOC)

Em 2007 o #Governo #Lula privatizou a Amazônia. Chineses ganharam o direito de explorar a floresta amazônica em Rondônia, local onde encontra-se uma das jazidas de nióbio.

Publicidade

Embora a população só tenha tomado conhecimento da existência do nióbio nestas terras recentemente, em 2011, a Funai, em 200, já havia emitido um alerta, e solicitou ao TCU fiscalização nestas terras, pois a “extração do metal estava sendo feita de forma clandestina”. O que mostra que já era sabido destas reservas antes de sua privatização. Outra arbitrariedade.

O Canadá, detém cerca de 1,5% das reservas mundiais. Com a exploração do nióbio, financia benefícios gratuitos na área de saúde e educação para a sua população. No Brasil, com a exploração e comercialização regulamentados, poderia ser feito muito mais.

Com tantas irregularidades que vêm acontecendo no país, se a população brasileira não se posicionar sobre a necessidade da aprovação de lei acerca da extração e comercialização do nióbio, o Brasil pode estar entregando ao mundo a maior riqueza nacional e também mundial.  #Amazonas