No começo de sua vida, as notícias que apareciam sobre o Bitcoin eram muito esparsas, e geralmente escritas por pessoas que não conheciam a fundo o sistema. Tudo era uma novidade e os conceitos muitas vezes se misturavam entre o software #Bitcoin e os outros softwares que o utilizavam. Portanto, tanto os proclamados sucessos quanto os alegados fracassos muitas vezes eram relatos exagerados dos acontecimentos.

Esse exagero também existe nos relatos de que o Bitcoin já foi "hacked in the past". Um dos mais famosos está relacionado com o roubo de milhares de Bitcoins de um Exchange chamado Mt. Gox. 

O caso Mt. Gox

Um Exchange é o local onde você pode comprar e vender Bitcoins, convertendo-os em fiat currency. O Mt.

Publicidade
Publicidade

Gox foi o primeiro Exchange de Bitcoin com grande volume de operações. Ele começou em 2011. Enquanto esteve em funcionamento, foi responsável por mais de 70% de todas as conversões de Bitcoin num determinado período. Seu sucesso contribuiu para um aumento da cobertura na mídia sobre o Bitcoin, para a criação de novos exchanges e a multiplicação de aplicativos, buscando utilizar a tecnologia Bitcoin.

Entretanto, no começo de 2014, o Mt. Gox fechou, alegando que havia sofrido um roubo de 650.000 Bitcoins que estavam em seu poder. O caso começou a ser investigado pelas autoridades, pois os Bitcoins neste episódio valiam aproximadamente US$ 450 milhões. Com o avanço das investigações, descobriu-se que haviam diversas falhas de segurança no software criado pela Exchange para gerenciar as operações de compra e venda e que, a partir dessas falhas, os Bitcoins foram redistribuídos através da rede num processo que se iniciou lentamente desde 2011. 

Possíveis falhas de segurança

Como as exchanges criam seus próprios softwares para controlar a compra, venda e envio de Bitcoins de um usuário para o outro, e depois para a rede Bitcoin, é nesses softwares que existe a possibilidade de algum hacker encontrar alguma falha que consiga explorar.

Publicidade

Por isso, ao utilizar este tipo de serviço, é altamente recomendável utilizar um Exchange que seja bastante conhecido e não permitir que seus recursos permaneçam muito tempo na carteira associada com o Exchange, para minimizar seus riscos. 

Segurança da rede e das carteiras Bitcoin

A rede de processamento das transações de Bitcoin valida informações sobre o saldo existente nas duas carteiras envolvidas na transação. Caso não haja moeda suficiente, esta transação não é efetuada. Mas a rede não valida quem está acessando esta carteira, pois este software (a carteira) não faz parte dela.

Cada carteira é criada por um software diferente e é o protocolo de segurança do mesmo que garante que ninguém pode acessar os valores. Portanto, sempre utilize as carteiras oficiais disponíveis pelas principais empresas do mercado, que foram testadas exaustivamente e tem seu código verificado por vários programadores independentes.

Atualmente, existem várias empresas confiáveis no mercado de carteiras Bitcoin e Exchanges.

Publicidade

Utilizá-las tem praticamente o mesmo nível de segurança de utilizar a rede bancária ou cartões de créditos tradicionais. #Negócios #Dicas