A crise no setor automobilístico parece estar longe de chegar ao fim. A Volkswagen, que é uma das maiores empresas do setor no Brasil, comunicou recentemente o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC que a sua fábrica localizada na cidade de São Bernardo do Campo em São Paulo está com um grande excedente de mão de obra. Segundo informações divulgadas pela imprensa local, esse número chega a cerca de 3,6 mil trabalhadores.

Com isso, a empresa está buscando medidas para que não aconteça demissão em massa de trabalhadores da unidade, e entre as principais medidas que a empresa busca fomentar são planos de demissão voluntária, corte de benefícios e até mesmo a redução de salários para futuros colaboradores.

Publicidade
Publicidade

Apesar de existirem acordos de estabilidade entre os trabalhadores da fábrica com a montadora até 2019, para que tais acordos se concretizem é necessário que a produção de veículos seja superior a 250 mil unidades por ano, algo pouco provável de acontecer, segundo o sindicato.

O Sindicado estará iniciando um processo de negociação com a empresa para evitar que aconteçam demissões na fábrica da Volkswagen em São Bernardo do Campo. A empresa inclusive já entregou a entidade, dias atrás, uma pauta com a relação de medidas que ela considera importante para adaptar sua capacidade ao mercado atual.

Enquanto as negociações entre montadora e sindicato acontece, milhares de trabalhadores que atuam na unidade estão apreensivos com relação ao futuro profissional.

Queda na venda de veículos

Não é apenas a Volkswagen que tem sofrido com os efeitos da crise no setor, as vendas de veículos novos no mês de junho de 2016 tiveram uma queda de 18,67% em relação ao mesmo período do ano passado, sendo que no acumulado deste ano a queda nas vendas está em 25,09%.

Publicidade

Com isso fica a expectativa de dias melhores para o setor,  uma vez que o setor automotivo é um dos mais importantes do país e gera milhares de postos de trabalho diretos e indiretos, e com a crise atual que o Brasil enfrente, vem passando por grandes dificuldades. #Desemprego #Crise econômica #Crise no Brasil