Minerar #Bitcoin não é desperdício de energia?

Nos primórdios da vida do bitcoin, quando sua base de usuários era pequena, e a moeda em si não tinha tanto valor, o conceito de minerar bitcoins era associado a um hobby que geeks tinham em casa. Essa mineração era feita utilizando-se computadores e placas de vídeo, que eram chamadas de "mining rigs", geralmente num quarto sem uso ou na garagem de casa, por causa do barulho e do calor gerado.

Passado

Neste momento no passado, minerar bitcoin não dava retorno financeiro, pois o valor da moeda era muito pequeno comparado ao valor da conta de energia elétrica. Essas pessoas mineravam por dois motivos:

  • Entusiasmo com a nova tecnologia: as pessoas que mineravam por causa de seu entusiamo, faziam isto para entender melhor como a rede de processamento bitcoin iria funcionar e também para apoiar seu desenvolvimento e crescimento.Ajudavam no desenvolvimento da rede e 
  • Aposta numa valorização futura: as pessoas que mineravam buscando uma valorização futura faziam isto tendo em vista o acúmulo do maior número de bitcoins possíveis neste primeiro momento, sem se importarem com o equilíbrio financeiro atual da operação (pagavam a conta de energia elétrica sem gastar bitcoins), investindo esses recursos na esperança de que essa moeda virtual aumentasse de valor com o tempo. Muitas dessas pessoas também eram entusiastas dessa nova tecnologia e também mineravam por causa do motivo anterior.

Com o aumento da popularidade do bitcoin, cada vez mais pessoas buscavam minerar a moeda.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, o software Bitcoin possui mecanismos para bloquear a geração de blocos em períodos menores do que 10 minutos, sendo o principal deles, o conceito da dificuldade. Quanto mais pessoas mineram, mais difícil fica a descoberta de um novo bloco, e mais processamento se torna necessário para esta descoberta.

Depois de um certo período, as placas de vídeo já não possuíam processamento suficiente para enfrentar a dificuldade crescente. Por isto, foram criados computadores específicos para essa atividade, chamados de ASIC (application-specific integrated circuit), que possuíam circuitos especializados no processamento do algoritmo de mineração. Isto promoveu um grande aumento de capacidade de processamento, eliminando de vez a possibilidade de se obter qualquer lucro na mineração com computadores caseiros.

Publicidade

Estes ASICs foram comercializados para o público em geral, mas eram muito caros no período de lançamento e se tornavam rapidamente obsoletos com a entrada de novas gerações. Essa corrida pelo modelo mais atual fez com que diversos fabricantes desistissem da produção de novos modelos, fazendo com que o fornecimento atual seja restrito a poucas empresas.

Presente

A mineração hoje somente faz sentido em locais onde a energia elétrica é muito barata (ou mesmo gratuita) e com a utilização de grandes data centers. Portanto, ela se tornou uma operação industrial e hoje grandes empresas fazem parte deste mercado, e são elas que controlam a rede de processamento do bitcoin.

Portanto, a mineração em casa, mesmo utilizando-se ASICs especializados, não gera bitcoins suficientes para que o investimento em equipamento e os gastos em energia elétrica sejam pagos. A quantidade de bitcoins gerada também é bem menor do que a quantidade que era gerada no começo da rede, para se apostar numa valorização maior da moeda.  #Negócios #Dicas