De acordo com artigo publicado na Folha de São Paulo, nesta sexta-feira, dia 05, o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) deverá começar a realizar, dentro em breve, a revisão das milhares de aposentadorias por invalidez e os chamados auxílios-doença em todo o país  Entretanto, além de ser verificada, durante as perícias, a questão da capacidade física dos segurados, outro ponto deverá ser alvo das investigações: A vida social no #Facebook (FB). Muitos beneficiados se rendem ao hábito de postar detalhes da vida pessoal que não condizem com a situação apresentada junto ao órgão, no momento de solicitar os referidos auxílios.

Segundo as informações obtidas junto a um médico perito da instituição, o órgão vai buscar investigar os vários aspectos da vida de cada beneficiário.

Publicidade
Publicidade

Este procedimento já foi utilizado em certas ocasiões, tais como uma ex-segurada, no estado de São Paulo, que havia requerido o auxílio-doença por causa de um quadro grave de depressão. Dias depois, ela estava postando fotos em passeios, viagens e festas, além de mensagens com demonstrações que estava bastante alegre. Neste caso, o órgão, através da Advocacia Geral da União (AGU), cancelou o benefício da mesma. 

O alerta vai também para aqueles que, depois de solicitarem a aposentadoria por invalidez, possuem o costume de publicar fotos no perfil do FB, dando mostras de gozar de boa saúde física e excelente capacidade para o retorno ao trabalho. Durante a análise, os peritos terão a liberdade de utilizar tais imagens como uma prova contra a própria pessoa. Portanto, para quem pensa em simular uma certa incapacidade ou para quem já tem o hábito, um cuidado maior terá que ser tomado, pois, tudo o que for postado, poderá ser considerado na avaliação.

Publicidade

De acordo com os dados divulgados pelo #INSS,  o foco desta primeira etapa deverá ser aqueles beneficiários que recebem o auxílio há mais de dois anos. Para os aposentados por invalidez, há mais de dois anos, o comparecimento a uma agência do órgão mais próximo de casa será obrigatório. Para quem tem mais de 60 anos, a revisão não será necessária, pois estão amparados por uma lei que dispensa os idosos de tal procedimento.

Com esta operação, o INSS espera que seja feita uma redução no pagamento de tais benefícios em torno de 30%. Em termos de números, a economia poderá chegar aos R$ 4 milhões anuais para quem tem auxílio-doença, com um corte de cerca de 250 mil dos 848 mil que serão revisados. Para as aposentadorias, os cortes planejados deverão atingir os 5%, o que corresponderá a uma redução de R$ 2,34 bilhões no final do ano. 

Os médicos peritos que irão participar do processo já estão sendo orientados para os procedimentos e, por cada exame extra, eles deverão receber um adicional de R$ 60,00 de bônus.

Publicidade

A convocação dos segurados, bem como a realização das análises só deverá ser iniciada após a publicação do decreto assinado pelo presidente Michel Temer. Isso poderá ocorrer nos próximos dias. A revisão do órgão está prevista para se estender por um período de dois anos.

  #Governo