De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores, a #Greve dos bancários, que teve início nesta quinta-feira, dia 6, por tempo não determinado, já fechou mais de 8.000 agências, além de 38 centros administrativos, no seu quarto dia de paralisação.

Segundo o Banco Central, o #Brasil tem exatamente 22.676 agências bancárias espalhadas por todo nosso território. A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) não apresentou o relatório da quantidade de agências que foram fechadas e informou que toda população brasileira pode consultar seus canais alternativos para realizarem as suas respectivas transações financeiras.

De acordo com a Contraf, novas negociações com os bancos ocorrerão hoje, sexta-feira (09), a partir das 11h, no estado de São Paulo.

Publicidade
Publicidade

Até ontem, quinta-feira, cerca de 25 estados e o Distrito Federal tiveram agências fechadas.

Algumas orientações

Primeiramente, é bom lembrar que algumas contas podem ainda ser pagas nos postos das casas lotéricas e também dos Correios, além de poder sacar seus benefícios e realizar depósitos.

Além disso, vale ressaltar que, paralisação dos bancários não pode ser levada como desculpa para que suas contas não sejam pagas em dia.

Meios alternativos

Os caixas eletrônicos

Desde que não vencidas, os correntistas podem utilizar os famosos caixas eletrônicos para agendamentos e pagamentos de suas contas, além de depósitos, saques, emissão de cheques e saques de seus benefícios do governo.

Solicitando outras opções de pagamento

O fornecedor tem o dever e obrigação em disponibilizar meios alternativos para que a população possa efetuar seus pagamentos.

Publicidade

Procure sua empresa para mais informações.

Falar com SAC do próprio banco

Através do SAC de seu banco, procure saber se alguma agência perto de sua localidade está funcionando, para que possa seja atendido.

Não deixe de documentar suas solicitações

Todos os pedidos que o consumidor fez para que conseguisse outras opções alternativas devem ser documentadas. Você pode fazer isso anotando o protocolo de atendimento. Lembre-se que esse ponto é muito importante, pois caso o fornecedor não queira disponibilizar outras opções de pagamentos, você terá como comprovar para algum órgão que trabalhe em defesa ao consumidor. #Crise econômica