No Brasil existem investimentos garantidos muito melhores que a poupança e acessíveis a qualquer pessoa. A partir de R$ 30 você consegue um rendimento superior.

O problema da poupança

Com este cenário de inflação alta enfrentado pelo Brasil, o instrumento mais comum de #investimento para o brasileiro, a poupança, não vale a pena. Nos últimos 12 meses, o rendimento acumulado nesta modalidade ficou em 8,35%. Abaixo da inflação acumulada nos últimos 12 meses, que é de 8,97%. Uma conta simples: se você comprava uma cesta de produtos por R$ 100 há 12 meses, agora irá precisar de R$ 108,97. Mas os R$ 100 que deixou na poupança viraram apenas R$ 108,35.

Publicidade
Publicidade

Ou seja, você perdeu R$ 0,62.

Mesmo que a inflação volte a cair, a poupança mal irá corrigir o seu #Dinheiro. É por isso que você deve procurar alternativas. A seguir vamos mostrar uma alternativa que tem conquistado milhões de brasileiros por exigir um capital muito baixo e ser virtualmente tão garantida quanto a poupança.

Conheça o Tesouro Direto

O #Tesouro Direto é um programa do Governo Federal criado em 2012 para democratizar o acesso a essa modalidade de investimento. De maneira simples pode-se dizer que é um empréstimo que você faz ao Governo, em troca de receber juros. É sobre isso que eles falam quando se referem a dívida pública no jornal.

A segurança deste investimento está atrelada a segurança financeira do Governo. Ou seja, você só perde se o Governo declarar falência. Quem viveu no início dos anos 90 não acha essa possibilidade tão remota mais, no entanto, justamente naquela época se provou que a poupança também depende da solvência do Governo.

Publicidade

Isto é: o Tesouro Direto é tão seguro quanto a Poupança.

Como investir no Tesouro Direto:

  • Você precisa abrir uma conta em uma corretora cadastrada, é possível consultar a lista delas no site do Tesouro;
  • Após abrir sua conta, você transfere seu dinheiro para a corretora;
  • Assim que tiver saldo na corretora, você efetua a compra dos títulos pela internet (ou via aplicativo no smartphone, em algumas corretoras)

É seguro? Sim. Estas empresas seguem regras do Banco Central e todas tem autorização para funcionar. Quando você compra seu título, ele não fica em poder desta empresa, e sim registrado na CBLC (Companhia Brasileira de Liquidação e Custódia). No caso de falência da corretora, basta você abrir uma conta em outra e seus títulos estarão lá. É completamente seguro.

Como funciona o rendimento? Existem algumas diferenças entre os rendimentos. Neste artigo não pretendemos nos aprofundar nos detalhes. Vamos classificar, então, em dois tipos de títulos do Tesouro Direto: pré-fixados e pós-fixados.

Publicidade

No pré, como o próprio nome sugere, você sabe o quanto vai ganhar no momento da compra. No segundo tipo, a rentabilidade final depende de algum índice como a inflação ou a taxa de juros SELIC. Ambos vão render mais que a Poupança.

Imposto de Renda? Sim. As aplicações no Tesouro Direto devem pagar imposto no momento do resgate. Importante reforçar que o imposto pago é sobre o rendimento, apenas. A alíquota começa em 22,5% para aplicações até 180 dias. Até 360 dias ela cai para 20%. Até 720 dias cai para 17,5%. Acima de 720 dias a alíquota final cobrada é de 15% sobre o rendimento.

Poupar é uma escolha

Para terminar, gostaríamos de lembrar que guardar dinheiro é uma questão de escolha e sacrifício do prazer presente para ter um futuro mais confortável e tranquilo. Com o Tesouro Direto você pode investir a partir de R$ 30. Então é uma questão de priorizar o investimento frente a despesa. Deixar de fazer algo prazeroso tendo em mente que aos poucos seu patrimônio vai engordando em investimentos, e que lá na frente haverá uma grande recompensa. Veja algumas dicas para economizar mesmo ganhado pouco dinheiro.

Serviço

Site do Tesouro Direto: www.tesouro.fazenda.gov.br