Esse deve ser o último ano em que os proprietários de carros do Estado de São Paulo irão receber o aviso de vencimento do IPVA por correio, segundo informações da Secretaria de Estado da Fazenda.

A carta que os donos de carros recebem pelos Correios atualmente contém o valor total do IPVA, as condições de pagamento, a data de vencimento, se há alguma multa de trânsito e também contém os valores do licenciamento e do seguro obrigatório DPVAT, e ela serve como um tipo de lembrete.

Contudo, o aviso de vencimento do IPVA 2017, que será enviado a partir do dia 15 de dezembro, não será mais emitido a partir de 2017 - para o IPVA 2018 e para os anos seguintes.

Publicidade
Publicidade

Dessa forma, o proprietário do veículo deverá consultar todas as informações que vinham no lembrete via correio, diretamente no site da Secretaria da Fazenda. Uma outra alternativa será procurar os bancos ou casas lotéricas e apresentar o número do Renavam e a placa do veículo.

A PROTESTE (Associação Brasileira de Defesa do Consumidor) acredita que essa medida pode prejudicar os proprietários de carros do Estado de São Paulo.

"Apesar de ser só um aviso, ele é importante para que o contribuinte saiba com antecedência quanto terá de pagar e se programe para isso", diz Sônia Amaro, supervisora institucional da Proteste. "Como no começo do ano há um acúmulo de contas, esse lembrete ajuda a não esquecer de pagar o imposto".

Ela acrescenta ainda que os contribuintes que não têm acesso à internet ou que não estão habituados a usá-la serão os mais prejudicados, e que esse grupo de pessoas ainda é muito grande para eliminar o aviso por carta.

Publicidade

Ela também comenta sobre a inconveniência de quem não possui acesso à internet ter que se deslocar até uma lotérica ou a um banco e pegar fila apenas para consultar o valor a ser pago. "Seria mais fácil se recebesse o aviso em casa para já programar o pagamento", afirma.

A decisão de acabar com o aviso por carta foi tomada pelo #Governo de São Paulo visando uma #Economia de até R$ 4 milhões por ano. "É uma economia importante, especialmente num momento de crise como este que estamos vivendo", informa Antonio Mendes Castilho, diretor-adjunto de arrecadação da Fazenda. #Brasil