O presidente Michel Temer (PMDB) fez um balanço do governo e informou algumas das novidades para 2017 em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (22). A principal medida anunciada pelo presidente é que haverá #Redução de mais da metade dos juros do cartão de crédito, no primeiro trimestre de 2017. No entanto, Temer não informou como que a #Proposta acontecerá na prática.

Serão duas hipóteses: a dos juros do cartão, que é aquela coisa dos 30 dias, que é o chamado rotativo, onde haverá a redução de mais da metade do que hoje se cobra. Em segundo lugar, 30 dias após, este está sendo imaginado, haverá um parcelamento daqueles que não pagaram.

Publicidade
Publicidade

Estes receberam juros inferiores, a menos da metade, ou seja, menos daquela metade que é para o rotativo.

Temer reforçou a importância da conexão da responsabilidade fiscal com a social, afirmando que esta união é a base do governo. O presidente afirmou que todas as medidas têm como objetivo reaquecer a economia e melhorar a qualidade de vida da população.

O presidente disse que o governo está se atentando para pautas polêmicas que estavam paralisadas, considerando assuntos econômicos, sociais, sobre educação, saúde e outros temas.

Segundo Temer, a reforma da #Previdência é um assunto de grande importância e, por isso, é considerado prioritário para o governo. Com o apoio do Congresso Nacional, o presidente disse esperar que a reforma trará impacto positivo para a economia brasileira.

O governo entende que a reforma será importante, mas não produzirá efeitos imediatos e sim no futuro, por isso foi apelidada de "em nome do filho".

Publicidade

"Para nós seria confortável deixar a Previdência para o próximo governo, mas estamos enfrentando o tema", afirmou Michel Temer.

Também falando diretamente sobre o bolso da população, Temer anunciou que o trabalhador poderá sacar o saldo das contas inativas do FGTS para o pagamento de dívidas. Isso permitirá que cerca de 10,2 milhões de pessoas sejam beneficiadas pela medida e haja grande movimentação de dinheiro na economia.

A expectativa do peemedebista é que o programa 'Minha Casa Minha Vida' entregue cerca de 500 mil casas. O objetivo de Temer é mobilizar a construção civil, que diz ser um dos setores que mais aumenta a quantidade de vagas de emprego no mercado.