O Banco Central comunicou que pode cortar a taxa básica de #Juros novamente, caso o PIB (Produto Interno Bruto) não volte a crescer, segundo a última ata do COPOM (Comitê de Política Monetária).

De acordo com a Ata da reunião a queda da taxa de juros seria de 14% para 13,75%.

Os membros do comitê defenderam a queda na taxa de juros, devido a diminuição na #Inflação, a #Economia mais enfraquecida e a PEC que limita os gastos públicos, como uma boa justificativa.

Entenda o que a queda de juros pode afetar a sua vida:

Juros altos:

- Aumento nos empréstimos e financiamentos - Ou seja, o produto final (carro, geladeira, eletroeletrônicos) ficam mais caros, quando os produtos ficam mais caros a população compra menos.

Publicidade
Publicidade

- Com o aumento do juros as pessoas gastam menos, o que ajuda na queda da inflação, que é ocasionada pela alta procura de bens e serviços, por isso utilizam o juros como ferramenta para queda da inflação.

- A economia enfraquece, porque as pessoas gastam menos, se a pessoas gastam menos, aumenta o desemprego, e aumenta o desemprego, porque as empresas produzem menos, chegando a uma situação em que é necessário cortar seus funcionários.

- Poupança pode render o seu máximo. Se a Selic estiver em até 8,5% a poupança rende menos de 6%, passando disso o rendimento da poupança chega em 6,17% ano.

- Maiores dívidas do Governo: Quando o Juros está mais alto, as pessoas preferem investir em títulos públicos e o governo acaba vendendo esses títulos, trazendo um aumento na dívida futura.

Portanto, a política monetária com juros mais altos precisa ser em um período mais curto, um tempo em que a inflação se ajuste, pois com as medidas de uma política monetária contracionista, a economia do país regride, piorando a qualidade de vida da população, com uma economia de recesso as pessoas ficam com medo de perder o emprego, de consumir bens, de viajar.

Publicidade

Se o Banco Central decidir começar a abaixar a taxa básica de juros, a economia pode voltar a se aquecer e o consumo voltar e consequentemente o desemprego diminuir.

http://br.blastingnews.com/politica/2016/12/reforma-da-previdencia-analistas-afirmam-que-sera-dificilimo-ter-aposentadoria-integral-001316403.html

http://br.blastingnews.com/politica/2016/12/michel-temer-estuda-liberacao-do-fgts-para-quitacao-de-dividas-001317797.html