A pesquisa realizada pelo portal G1 da Globo, com dados do Departamento de Coordenação Geral de Imigração (CGIg) mostra que quase metade dos profissionais procuraram trabalhar no estado do Rio de Janeiro.

A autorização de vistos de trabalho para estrangeiros no Brasil caiu cerca de 21,12%, de acordo com uma pesquisa com base nos últimos dados disponíveis, divulgados pelo Ministério do Trabalho do país. Os dados mostram que em 2015 o governo brasileiro concedeu 36.868 autorizações de trabalho para não-brasileiros, enquanto que em 2014 esse número chegou a 46.740.

"É um declínio natural que segue o momento econômico que estamos presenciando atualmente", disse Luiz Alberto Matos dos Santos, coordenador de imigração-geral adjunto no Ministério do Trabalho.

Publicidade
Publicidade

Em 2008 e 2009, enquanto os EUA e a Europa estavam enfrentando turbulência econômica, o Brasil foi indexado por muitos economistas estrangeiros como um dos mercados emergentes mais promissores do mundo. As apostas bem-sucedidas para o país sediar a Copa do Mundo de 2014 e Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016 trouxeram centenas de estrangeiros e investidores para o Brasil.

Entre 2011 e 2013, o Brasil experimentou um boom de profissionais estrangeiros que entraram no país. De acordo com o Ministério do Trabalho, nesses três anos, mais de 198.000 profissionais chegaram para trabalhar no país. No entanto, até 2014 a maré começou a mudar.

As empresas estrangeiras começaram a investir menos no Brasil, trazendo profissionais menos qualificados para o país. Em 2015, de acordo com a pesquisa, um total de 15.947 profissionais com nível superior procuraram vistos de trabalho, 10.000 menos do que em 2014.

Publicidade

O país vive a sua pior recessão da história, segundo dados do Instituto Brasileiro Geral de Estatísticas(IBGE), a #Economia despencou cerca de 0,8% no primeiro trimestre deste ano e 2,1% durante o segundo trimestre e em comparação com o quarto trimestre de 2014 (que cresceu 0,1%), a queda foi de 4,5%.

Tanto o consumo das famílias , produção industrial e da construção civil estão paralisadas no país governado por #Michel Temer, que assumiu o poder em agosto depois do processo de impeachment de Dilma Rousseff. Depois de assumir o governo, Michel Temer começou um política de cortes de gastos públicos, na tentativa de salvar a economia estagnada do país. #Recessão no Brasil