Faltando apenas dois dias para iniciar o ano de 2017, a #Economia brasileira está se encaminhando para mais um ano difícil de recessão. O último Relatório de Foco do ano do Banco Central, publicado na segunda-feira, mostrou as piores projeções para a economia anual de 2017.

Inflação

As projeções de inflação para este ano são mais baixas em décadas, girando em torno de 6,36%. No entanto, essa taxa ainda está acima do teto estabelecido pelo IPCA, que é de 6%. As projeções de inflação para 2017 também caíram para 4,85%. No entanto, essa taxa ainda está acima da meta final do Banco Central que é de 4,5%.

PIB

O relatório do Mercado Focus mostra uma estimativa de crescimento de mercado de 0,5% para o próximo ano.

Publicidade
Publicidade

Isso marca a décima vez consecutiva que o relatório diminuiu sua estimativa de crescimento.

Na semana passada, essa mesma estimativa foi de 0,58%. E há um mês atrás, as estimativas eram de 0,98%. Enquanto isso, o Ministério das Finanças prevê uma estimativa de crescimento de 1%.

Além disso, o relatório divulgado na última segunda-feira (26) projetou uma retração de 3,49% no PIB. No ano passado, o #Brasil registrou a maior retração da história do país em 3,8%. O ano de 2016 será a primeira vez que o PIB do país vai encolher em dois anos consecutivos.

Por outro lado, as últimas projeções indicam que a produção industrial pode não estar encolhendo tão rapidamente assim. A retração esperada para este ano caiu de 6,72% para 6,68%. Em 2017, o aumento projetado na produção industrial subiu de 0,75% para 0,88%.

Publicidade

Estados falidos

A partir da decisão da semana passada no Congresso, o governo federal vai injetar cerca de 11 bilhões de reais para aliviar as dívidas dos Estados até o final deste ano. No entanto, para melhorar a situação de calamidade pública, o governo federal provavelmente precisará injetar ainda mais dinheiro nos primeiros meses de 2017.

Na medida em que o ano fiscal de 2016 chega ao fim, 12 estados brasileiros estão no vermelho. Eles haviam contado com uma recuperação econômica em 2017 para tirá-los da dívida, mas as projeções continuam a piorar. Mesmo os que projetam superávits no próximo ano, terão que reavaliar seus orçamentos de acordo com as projeções econômicas sombrias.

O Rio de Janeiro encontra-se na pior situação de endividamento, cerca de 19,3 bilhões de reais no vermelho. A maior despesa dos estados é o sistema público de pensões. O Rio informa praticamente o mesmo número de funcionários aposentados na mesma folha de pagamento de funcionários ativos.

Minas Gerais informa uma dívida de 8,06 bilhões de reais para 2017.

Publicidade

Outros 4,1 bilhões de reais foram registrados no Paraná. O Rio Grande do Sul reporta um superávit de 1,2 bilhão de reais para 2017, embora 2,9 bilhões de reais em "receitas extraordinárias" tenham sido lançados em seu orçamento por contabilistas do estado para cobrir sua dívida real.

Algumas boas notícias

As estimativas de superávit (o número de exportação maior do que importação) aumentaram de 47 bilhões de reais para 47,1 bilhões. Para o próximo ano, as estimativas subiram de 45 bilhões reais para 46,8 bilhões de reais.

Enquanto isso, as projeções deste ano para o investimento estrangeiro subiram de 67,1 bilhões de reais para 68 bilhões. As estimativas para 2017 ficaram em 70 bilhões de reais. #Crise econômica