Apesar de o Governo Federal ainda não ter liberado o #saque do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (#FGTS), o Banco Santander anunciou na última segunda-feira, 16, que já disponibiliza o saque para seus correntistas – com cobrança de juros. Segundo a instituição, o valor será liberado em 24 horas na conta corrente e o pagamento da dívida será feito em uma única parcela, assim que o Governo liberar o saque.

Para quem deseja pagar o empréstimo com abatimento dos juros, há também a possibilidade de quitação antecipada. Segundo a instituição, a taxa pode variar entre 2,59% e 4,59%. A linha está disponível para clientes correntistas que tenham saldo a resgatar e que tenham limites pré-aprovados.

Publicidade
Publicidade

Outras instituições financeiras, como Banco do Brasil e Bradesco, informaram que ainda avaliam a possibilidade de liberação antecipada do saque do FGTS para seus correntistas – e devem anunciar a decisão para a imprensa.

Liberação de saque de contas inativas

No final do ano de 2016 o Governo Federal anunciou a liberação do saque de contas inativas do FGTS até dezembro de 2015. Contas inativas são aquelas que não recebem mais depósitos do Fundo de Garantia por conta da rescisão do contrato de trabalho. A medida, anunciada pelo presidente Michel Temer, tem como objetivo reaquecer a economia. Segundo Temer, não haverá limites para o saque e o trabalhador terá direito de retirar todo o valor que possui na sua conta inativa, seja qual for o fim. O Governo Federal, porém, só deve divulgar o calendário com a liberação dos saques no início do mês de fevereiro, levando em conta a data de nascimento dos beneficiários.

Publicidade

Segundo informações do Governo Federal, 10,2 milhões de trabalhadores terão o direito de sacar o FGTS. É possível consultar o saldo disponível no site do FGTS, ou, ainda, no da Caixa Econômica Federal.

Na ocasião, o Santander anunciou o crédito unificado, que reúne os saldos devedores em cartão de crédito, crédito pessoal e cheque especial e permite parcelar as dívidas em até 60 meses, mantendo parte dos limites rotativos. #Dinheiro