Todo começo de ano são sempre as mesmas preocupações: a fatura do cartão alta devido às compras de Natal, #IPVA, material escolar, #IPTU, entre outras despesas. E é nessa época que é necessário fazer boas escolhas para o dinheiro render e conseguir pagar todas as contas sem ficar no vermelho.

Um bom planejamento financeiro é importante para manter as contas equilibradas, ter controle de todas as receitas e despesas também contribui para o uso inteligente do dinheiro.

Uma das despesas mais altas que surgem logo em janeiro é o IPVA. A dúvida surge quando o boleto chega em casa, pagar parcelado ou pagar a cota única com desconto?

Antes de tomar uma decisão é preciso levantar alguns pontos: Qual a porcentagem de desconto para pagamento à vista (o valor varia de estado para estado e pode ser de 2% até 10%).

Publicidade
Publicidade

Quantas vezes é possível parcelar? O dinheiro para pagamento está investido?

Para quem tem o dinheiro investido é preciso verificar se a rentabilidade do investimento no período relativo ao parcelamento permitido supera o valor do desconto à vista.

Cálculo

Para calcular é simples, a primeira parcela é paga no mesmo vencimento da cota única com desconto, ou seja, à vista. Com isso em mente é necessário descobrir o valor que será financiado. Subtraia do valor total à vista o valor das demais parcelas, lembrando de tirar dessa conta o valor da primeira parcela que será paga à vista, assim terá o valor que será financiado. Agora é necessário saber quanto de juros há sobre o valor financiado. No site do Banco Central tem um simulador que pode ajudar a encontrar o percentual de juros embutido no IPVA, IPTU e demais despesas.

Publicidade

Com o percentual em mãos, é só comparar com a rentabilidade. O valor da rentabilidade precisa ser superior para compensar o pagamento parcelado.

Caso não disponha de dinheiro em caixa ou investido, a alternativa é pagar parcelado mesmo.

O ideal para quem quer evitar surpresas é planejar o pagamento do próximo ano. Neste caso, o cálculo também é simples, é necessário somar as despesas que deseja provisionar e dividir por doze meses e todo mês poupar este valor, assim, em janeiro não terá imprevistos e poderá aproveitar os descontos. #Economia