Após a crise financeira do último ano, os brasileiros iniciam #2017 mais atentos com os gastos e essa maturidade com as finanças leva ao maior interesse em investir o dinheiro para ter uma segurança econômica.

Até por que especialistas afirmam que 2017 ainda será um ano de incertezas na #Economia, o que impacta diretamente na melhor escolha de investimentos para o novo ano que começa.

Entre as opções, temos as aplicações de renda fixa e as apostas mais arriscadas, e a seguir vamos mostrar quais são as recomendações para quem quer investir no Tesouro Direto, na Poupança ou em Ações.

Tesouro Direto

Existem três tipos de títulos no Tesouro Direto: o Tesouro Prefixado, o Tesouro Selic e o Tesouro IPCA+.

Publicidade
Publicidade

Para os investimentos a curto prazo, alguns economistas aconselham os que seguem a taxa Selic, que são os pós-fixados. Outra opção é o Tesouro Prefixado, porque paga uma taxa de juros previamente determinada e, segundo o economista Paulo Figueiredo, "com a previsão de queda da taxa, essa aplicação garante uma remuneração maior do que devem ser os juros lá na frente".

Já para os investimentos a longo prazo, a recomendação é o Tesouro IPCA+, desde que a intenção seja sacar o dinheiro somente no fim do contrato, já que se o saque ocorrer antes, pode haver prejuízo.

Poupança

Na Poupança não são cobrado o Imposto de Renda e taxas administrativas, mas ela é considerada o pior investimento de renda fixa, ao passo que a taxa é de apenas 0,5% ao mês mais TR.

Ela é ideal para o rendimento do dinheiro do dia a dia ou para uma reserva financeira que ficará nela por um período curto de até seis meses, mas não é aconselhável usá-la como um investimento.

Publicidade

Ações

A incerteza na política e na economia do mundo podem causar problemas para quem quer investir em ações, portanto esse é um bom investimento caso haja uma recuperação, juros mais baixos e aumento do emprego.

Entre as melhores estratégias, estão aguardar um ou dois meses de queda forte para comprar ações ou fazer aplicações constantemente, como por exemplo, comprar o mesmo valor em ações todos os meses.

Os melhores setores atualmente, de acordo com o economista Pedro Paulo Silveira, são os de siderurgia, bancário, petróleo e mineração e, para quem não tem experiência nesse tipo de investimento, o mais aconselhável é buscar ajuda especializada.