O governo federal divulgou, nesta terça-feira (14), o calendário de saque para as contas inativas do #FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). São mais de 43 bilhões parados nessas contas.

A partir do mês de março, será possível o trabalhador sacar os valores das contas inativas do FGTS. A previsão do #Governo federal é que até o mês de julho mais de 30 milhões de pessoas terão retirado o dinheiro.

A partir do dia 18 de fevereiro, a Caixa Econômica Federal passará a abrir aos sábados para orientar melhor os trabalhadores sobre o saque das contas inativas do FGTS.

O presidente Michel Temer e o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, anunciaram oficialmente a programação para saques, que será de acordo com o mês de aniversario de cada trabalhador.

Publicidade
Publicidade

Entenda como funcionará:

  • Pessoas que nasceram nos meses de janeiro e fevereiro: Saque liberado em março/2017;
  • Pessoas que nasceram nos meses de março, abril e maio: Saque liberado em abril/2017;
  • Pessoas que nasceram nos meses de junho, julho e agosto: Saque liberado em maio/2017;
  • Pessoas que nasceram nos meses de setembro, outubro e novembro: Saque liberado em junho/2017;
  • Pessoas que nasceram em dezembro: Saque liberado em julho/2017.

Tire suas duvidas sobre o FGTS

Como consultar se tem saldo em contas inativas do FGTS?

Você pode consultar o saldo das contas inativas através do site do FGTS ou da própria Caixa Econômica Federal e através de aplicativos de celulares. Lembrando que é necessário informar dados pessoais para o acesso.

Quem tem direito ao saque?

Trabalhadores que tiveram o contrato de trabalho encerrado até 31 de dezembro de 2015.

Publicidade

O direito ao saque é apenas para aqueles trabalhadores que pediram demissão ou foram demitidos por justa causa até 31 de dezembro de 2015.

Trabalhadores que estão empregados têm direito ao saque?

Apenas os trabalhadores que possuem contas inativas poderão sacar o valor do fundo. Aqueles que trabalham na mesma empresa desde o período previsto e possuem contas ativas não têm direito.

Para maiores informações, o interessado poderá ir uma Caixa Econômica Federal mais próxima. #Economia