O #Facebook é uma empresa que vem tendo um crescimento muito grande em poucos anos. Tal crescimento da multinacional começa a gerar preocupações de toda a liderança da empresa, que pensa em aplicar medidas que garantam a continuidade do sucesso que a multinacional veio conquistando desde sua fundação, no ano de 2004.

Embora o lucro da empresa tenha crescido 177% no ano passado, trazendo muita satisfação a investidores, surgiu a preocupação deste prospero quadro mudar e as ações começarem a sofrer queda, pois a empresa tem passado por momentos turbulentos devido à crescente desconfiança da promoção de falsas notícias na rede social, censura e inconsistências na aplicação dos padrões de comunidade e políticas de conteúdo.

Publicidade
Publicidade

Essa atmosfera preocupante levou a empresa SumOfUs, membro do conselho de acionistas, a solicitar o afastamento de Mark Zuckerberg da presidência do conselho, pois considera que o acúmulo de funções do cofundador do Facebook e CEO poderá ser prejudicial para a corporação, pelo fato de todo o poder ficar concentrado em uma só pessoa, de modo que o afastamento do CEO da presidência traria um maior equilíbrio de poderes.

A solicitação de afastamento de Zuckerberg do cargo se deu por uma petição assinada por 333 mil pessoas, solicitando que o Facebook melhore sua organização corporativa. Destas assinaturas, 1500 são de acionistas. Toda esta mobilização de acionistas a fim de evitar eventuais problemas e garantir o futuro da corporação pode acabar sem o afastamento do CEO, considerando que ele é o acionista majoritário e possui membros favoráveis a sua permanência na direção.

Publicidade

A petição pode ser facilmente derrubada por Zuckerberg.

Os argumentos que fundamentam a petição de SumOfUs pode ainda ser insuficiente no que se refere a equilíbrio de poderes do conselho, visto que, existem acionistas no conselho que também possuem função dupla em corporações como a Tesla, Netflix, IBM, Amazon e Salesforce, de modo que não existem argumentos mais contundentes para a redução de poderes do CEO, pois o Facebook encontra-se em uma boa condição financeira, embora haja preocupações sobre o futuro da empresa. #Tecnologia #Negócios