Pessoas estão descobrindo agora que a empresa onde trabalhou por um período, não depositava ou deixou de depositar o FGTS em algum momento. Trabalhadores estão alegando também que o aplicativo da Caixa tem um valor e o extrato completo tem outro. Existindo casos como por exemplo de empresas que deixaram de existir com o passar do tempo.

A primeira semana de horários estendidos nas agências da Caixa foi bem movimentado, muitas pessoas chegaram fazendo perguntas sobre informações das contas inativas. No sábado as agências abriram para o atendimento entre as 9 da manhã e 3 da tarde só para tirar dúvidas.

Empresas estão sendo cobradas

Cerca de 198.790 mil empresas estão sendo cobradas, segundo a Procuradora Geral da Fazenda.

Publicidade
Publicidade

O número de trabalhadores que não tem seus depósitos em dia chega na casa dos 7 milhões. As situações que entram nessa lista, são contas inativas, de pessoas que entraram com o pedido de demissão e nesse momento estão tentando receber, e as contas ativas que ainda possuem vínculos com as empresas.

Um dos caminhos que pode ser seguido é a busca pela Superintendência Regional de Trabalho e o Sindicato da Categoria. O governo também está tentando orientar os trabalhadores para conversar com as empresas e pedir os depósitos em atraso.

Existe outra situação que preocupa pessoas, onde alguns casos a conta existe, mas ela está com alguma inconsistência, ou seja, faltando alguma informação importante, como a data de encerramento do contrato. Nesse caso o trabalhador tem que apresentar uma comprovação do término de seu emprego, caso contrário ele vai ficar impossibilidade de sacar.

Publicidade

O gerente nacional do #FGTS fala que o trabalhador que não tem o documento de rescisão e nem a baixa do emprego na carteira, primeiramente deve procurar a Superintendência Regional de Trabalho, para então conseguir um documento, onde o mesmo pode ser encaminhado a uma agência da Caixa. Esse documento possibilitara consequentemente a inserção de informações no cadastro do Fundo de Garantia. #Dinheiro