O Brasil é uma das 27 economias do mundo que cobra mais de 50% dos impostos sobre negócios. O Fórum Econômico Mundial (WEF) calcula este "#imposto total" tomando a soma dos impostos e contribuições diferentes do empregador - lucro, social, trabalho, propriedade, volume de negócios e outros impostos pequenos - após deduções e isenções.

Além disso, o Brasil simplesmente tem uma tonelada de diferentes tipos de impostos, cobrados nos níveis federal, estadual e municipal. Os empresários têm de pagar impostos sobre tudo, desde tipos específicos de importações até o uso de terras rurais, e as taxas podem variar muito. Para os empregadores, o sistema de impostos multi-camadas pode ser uma enorme dor de cabeça.

Publicidade
Publicidade

Então, veja alguns dos impostos mais comuns enfrentados pelas empresas. #Economia

Impostos sobre a propriedade

  • IPTU (Imposto sobre a Propriedade Territorial Urbana Predial) Imposto sobre propriedade dentro dos limites urbanos, pagos diretamente pelo proprietário ou inquilino. Na verdade, a taxa depende do município, tamanho da propriedade e localização.
  • ITR (Imposto sobre Território Rural) O mesmo conceito como o IPTU, mas aplicado à propriedade rural (0,3 a 20%).
  • ITBI (Imposto sobre Transmissão Inter Vivos de Bens Imóveis e de Direitos a eles Relativos) O ITBI é um imposto municipal sobre troca de propriedade, que incide contra o comprador ou o cessionário (2 a 3%, dependendo do município).
  • IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) Um imposto sobre os veículos do Estado para carros, caminhões, motocicletas. Na verdade, praticamente qualquer coisa motorizada que se move (1,5 a 4%).

Impostos de renda / lucro

  • IRPF (Imposto de Renda de Pessoas Físicas) Imposto de renda pessoal deduzido da renda anual. No entanto, os que ganham menos do dobro do salário mínimo estão isentos. Além disso, aqueles que vivem no exterior, mas recebem receita tributável do Brasil deve pagar o IRPF (0 a 27,5%).
  • IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa Jurídica) Semelhante ao IRPF, é o imposto da receita corporativa Federal aplicada aos lucros líquidos de qualquer entidade jurídica, pública ou privada, independentemente de propósitos ou nacionalidade (15 a 25 por cento).
  • PIS / Pasep (Programas de Integração Social e de Formulação do Patrimônio do Servidor Público) Imposto federal sobre todas as entidades jurídicas de propriedade do governo, incluindo organizações sem fins lucrativos (0,65 a 1,65%).
  • Impostos sobre serviços

  • IOF imposto cobrado sobre qualquer transação financeira - como o crédito, câmbio, ou seguro (0,38 a 25%).
  • ISS (Imposto sobre Serviços) Imposto sobre todos os serviços prestados a terceiros por uma empresa ou profissional, pago pelo fornecedor de serviços (máx. 5%).

    Impostos sobre negócios internacionais

  • IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) Imposto federal pago sobre mercadorias nacionais produzidas ou importadas, que tenham sido modificadas localmente, pago pelos fabricantes locais ou pelo importador. A taxa varia de acordo com o tipo de mercadoria, seguindo o código NCM do produto (0 a 300%).
  • II (Imposto sobre a Importação) Um imposto de importação incidente sobre a entrada de quaisquer produtos estrangeiros no Brasil pagos pelo importador, destinatário e o adquirente das mercadorias importadas (0 a 20%).
  • IE (Imposto sobre a Exportação) A taxa é baseada no preço internacional do produto em condições de mercado livre e pode variar de 30 a 150%.
  • ICMS (Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicações) Imposto sobre o valor agregado sobre as vendas e serviços para o fornecimento de bens, incluindo o transporte, serviços de comunicação, etc. Qualquer um - pessoa ou empresa - Que comercializa bens, incluindo importar ou adquirir produtos do exterior (4 e 25%).