Anunciado pelo presidente da República Michel Temer como uma importante medida para aliviar as combalidas finanças das famílias brasileiras, o saque das contas inativas do FGTS terá seu calendário anunciado em fevereiro. O banco federal, inclusive, tem emitido alertas nos últimos dias a respeito de falsos calendários que têm circulado na internet e redes sociais. De acordo com a CEF, os trabalhadores devem se atualizar apenas pelos canais de comunicação oficiais do banco, como o site da instituição (www.caixa.gov.br), e o aplicativo oficial do #FGTS.

Saque do FGTS poderá ser usado para qualquer objetivo

Vista por analistas como uma boa estratégia para diminuir o alto endividamento das famílias que, em anos recentes, têm aumentado na esteira do crescente desemprego e recessão econômica, o saque das contas inativas do FGTS poderá ser usado pelos trabalhadores para qualquer objetivo, seja consumo, amortização de dívidas ou mesmo aplicações financeiras que tenham um rendimento mais nobre do que os magros 3% +TR do FGTS.

Publicidade
Publicidade

A caderneta de poupança, por exemplo, além de segura, tem provido rendimentos de 6,17% +TR, mais que o dobro do FGTS.

O recomendado é que as famílias que possuem dívidas, principalmente aquelas relacionadas às compras no cartão de crédito e cheque especial, destinem o #Dinheiro para a amortização ou mesmo pagamento integral das dívidas. Segundo especialistas, de posse de um bom capital para negociar com bancos e operadoras de cartão e crédito, os clientes podem conseguir ótimos descontos no pagamento dos débitos financeiros, dando importante alívio ao orçamento doméstico.

Sair do vermelho

O FGTS foi instituído em 1966 durante o #Governo militar de Castelo Branco com objetivo de fornecer proteção aos trabalhadores demitidos sem justa causa. Quando formalizado no mercado de trabalho, todo empregado recebe por parte de seu empregador o correspondente a 8% de seu salário todos os meses.

Publicidade

Os depósitos são feitos em uma conta na Caixa Econômica Federal, gestora do FGTS. Trata-se de uma espécie de poupança compulsória, como se diz no jargão econômico, e para poder sacar o dinheiro o trabalhador tem de incorrer em algumas situações específicas, como demissão sem justa causa ou compra da casa própria.São consideradas contas inativas todas aquelas vinculadas a contratos de trabalho que foram finalizados até 31/12/2015. Se você foi afastado do trabalho sem justa causa antes dessa data, verifique seu saldo e aproveite a chance para sair do vermelho.