O governo liberou nesta terça-feira, dia 14, a consulta e saque do #Dinheiro relativo às contas inativas do FGTS. A #Caixa Econômica Federal disponibilizou em seu site, uma página exclusiva com uma série de informações e até lançou um aplicativo para facilitar a vida de quem precisa sacar o dinheiro. Mesmo assim, ainda tem muita gente com dúvidas.

Vamos esclarecer os principais pontos do saque de contas inativas do #FGTS, começando pela dúvida de muitos que é em relação ao limite para retirada do dinheiro, já que algumas pessoas possuem uma quantia maior. Quanto a isso, podem ficar tranquilos, pois não há limites para saques, aliás, esse programa foi criado justamente para que o dinheiro seja todo retirado, uma soma que pode ultrapassar os R$ 43 bilhões.

Publicidade
Publicidade

Com esse dinheiro, o governo espera que a economia brasileira tenha uma boa aquecida.

A questão da data dos pagamentos é outra dúvida muito comum. De acordo com o calendário divulgado nesta terça-feira, os pagamentos serão realizados de acordo com a data de nascimento de cada beneficiário, confira:

  • Quem nasceu nos meses de janeiro e fevereiro: irá receber entre 10 de março a 9 de abril.
  • Quem nasceu nos meses de março, abril e maio: irá receber entre 10 de abril e 11 de maio.
  • Quem nasceu nos meses de junho, julho e agosto: irá receber entre 12 de maio e 15 de junho.
  • Quem nasceu nos meses de setembro, outubro e novembro: irá receber entre 16 de junho e 13 de julho.
  • E, por fim, quem nasceu no mês de dezembro: irá receber no período de 14 a 31 de julho.

Terá direito a sacar esse dinheiro das contas inativas do FGTS toda pessoa que trabalhou até o dia 31 de dezembro de 2015 e não conseguiu sacar o valor depositado no FGTS quando deixou o emprego, o que pode ter acontecido pelo fato do trabalhador ter sido dispensado por justa causa, ou então quando ele pediu demissão.

Publicidade

Sempre que um trabalhador consegue um novo emprego, é aberta para ele uma nova conta do FGTS e mensalmente o empregador vai depositando uma determinada quantia nesta conta. Assim que o trabalhador encerra seu vínculo com a empresa, essa conta se torna inativa e o juro sobre ela é de 3% ao ano, mais a Taxa Referencial.

Caso ainda tenha alguma dúvida, acesse o site da Caixa através do endereço: www.caixa.gov.br/contasinativas