As grandes redes varejistas estão com promoções nas bebidas nesse carnaval, em alguns supermercados os descontos chegam a até 80%. Isso tudo para não repetirem o desempenho ruim das #vendas como em 2016, nesse período de folia em todo o país.

Na rede Dia adotaram o slogan “#Carnaval sem Crise” e pretendem atrair os consumidores com descontos que chegam a 80% na compra da terceira caixa de cerveja, e toda a linha de bebidas tidas como Ice (frutas misturadas com vodca ou pinga), está sendo vendida pela metade do preço.

No Extra, as vodcas Absolut e Orloff estão com desconto de 20% e na terceira caixa da cerveja Skol palito (269 ml) o desconto é de 80%, com isso, a latinha passou de R$ 2,49 para apenas R$ 1,82. Na cidade de São Paulo, dez unidades da rede terão tendas nos estacionamentos vendendo exclusivamente bebidas durante o carnaval.

As redes apostam no crescimento dos blocos de ruas em São Paulo, para lucrar mais que o carnaval do ano passado. Renato Giarola, diretor comercial do GPA, que reúne as redes Pão de Açúcar e Extra, afirma: “Investimos pesado no Rio e no Nordeste, mas, neste ano, focamos bastante também em São Paulo, aproveitando o crescimento dos bloquinhos de rua e essa mudança no hábito do folião paulistano”. O grupo, segundo Giarola espera também um aumento de 30% das vendas nas bebidas mistas, como a Skol Beats e a nova sensação das bebidas entre os foliões do sudeste, a Catuaba Selvagem.

Alívio na #Inflação no setor

Em 2016, o setor de supermercados registrou crescimento de 0,8% nas vendas no carnaval, em comparação com 2015, os dados são da Associação Paulista de Supermercados (Apas). A expectativa para esse ano seja uma alta de 1% nas vendas.

Em janeiro, as cervejas tiveram queda de 1,38% nos preços. Para Rodrigo Mariano, gerente de economia da Apas, essa queda da inflação deve melhorar as vendas: “Se as marcas não reduzirem o preço médio, mesmo que implique em uma queda da margem de lucro, as pessoas não irão consumir”, ressalta Rodrigo.

Uma estratégia de vendas mais agressiva é que sugere Giarola: “Temos que ser agressivos e dinâmicos para crescer neste cenário de desemprego alto. Precisamos trabalhar três vezes para faturar um pouquinho além, mas, se continuarmos como em outros anos, não vamos vender igual”, diz diretor comercial para o jornal Folha de S.Paulo.