A análise de cargos e salários, só que em nível global, mostra que o empregado comum do Brasil sofre uma retração até certo ponto crítica no seu rendimento mensal, isso porque, por exemplo, a média do salário oferecido pela indústria na China já ultrapassou o total do que é pago para os trabalhadores de países latino-americanos como Brasil e México e além do que, está chegando perto de países da Europa, como Portugal e Grécia. Não resta a menor dúvida de que tal avanço na renda dos trabalhadores chineses se deu no período dos últimos 10 anos em que a economia do país praticamente triplicou.

De acordo com a consultoria prestada pelo instituto “Euromonitor International”, o único país da América Latina que os chineses ainda não ultrapassaram no quesito de salário foi o Chile; sendo que o mesmo estudo demonstrou que toda essa performance na economia chinesa melhorou o padrão de vida de 1,4 bilhão de habitantes daquele país.

Publicidade
Publicidade

Vale frisar que os percalços históricos e cotidianos apresentados na América Latina, com a estagnação e não só isto, mas com a retração dos salários, e pela Grécia, cujos salários retrocederam para menos da metade do que era pago no ano de 2009, também contribuiram para o milagre chinês.

Ainda conforme a Euromonitor, os salários pagos pela indústria na #China de 2005 até 2016, aumentaram três vezes, indo para US$ 3,60 a hora trabalhada. Durante o mesmo período de tempo, no Brasil esse ganho foi do valor US$ 2,90 para US$ 2,70, na África do Sul de US$ 4,30 para US$ 3,60 e por fim, no México de US$ 2,20 para US$ 2,10. Outro detalhe que chama atenção é que após a entrada dos chineses em 2001 na OMC - Organização Mundial do Comércio, esses também superaram países tais como Tailândia, Colômbia e #Argentina no quesito salário.

Publicidade

Os dados compilados pela Euromonitor têm como origem as informações prestadas pela OIT - Organização Internacional do #Trabalho, pela Eurostat, que é a agência de estatísticas da União Européia e de agências locais de estatísticas; entretanto, foram tomados certos cuidados adicionais como o da conversão dos valores em dólares e posterior calibragem dos mesmos pelos índices de inflação vigentes.

Um detalhe, no entanto, que não pode ser desconsiderado no universo intricado repleto de variáveis no contexto da economia, é que a população da China está ficando envelhecida, o que diminuirá a força produtiva no trabalho, podendo fazer com que ocorra a pressão no que diz respeito à elevação de salários maiores nos anos vindouros, atesta Robertson, da consultoria Renaissance Capital.