Após as investigações da #Polícia Federal apontarem que empresas brasileiras que exportavam carne não cuidavam da higiene de seus produtos e subornavam fiscais de órgãos de fiscalização federais sobre a produção de carne, também chamada de "Operação #Carne Fraca", as indústrias brasileiras perderam credibilidade, mercado e 130 milhões de dólares em apenas uma semana. As descobertas de fraudes fecharam o mercado exterior para a produção nacional de carne de frango, boi e porco.

A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA),estima uma perda de US$ 40 milhões nos setores de aves e suínos. Já a carne bovina, de competência da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), calcula uma perda de pelo menos US$ 96 milhões em produtos.

Publicidade
Publicidade

O cenário desfavorável reduziu a produção da indústria para que seja compatível com a demanda. A JBS, por exemplo, anunciou que as atividades de produção de carne foram suspensas em 33 de 36 unidades no país e informou que, ao retornar, as fábricas vão operar com 36% menos produtividade, justamente para ajustar à demanda.

Para tentar reverter a situação, o ministro da agricultura, Blairo Maggi, junto às associações responsáveis pela indústria brasileira, vem trabalhando estratégias para restabelecer a economia, já que a comercialização de carne representa parcela importante das exportações (7,5% registrado no ano passado).

O ministro acredita que, num prazo entre uma semana e 15 dias, as exportações poderão ser regularizadas. Mas o bloqueio no mercado não afeta somente a indústria, o desemprego parece ser outra consequência.

Publicidade

Em entrevista, Francisco Turra, presidente executivo da ABPA, afirmou que "Tudo o que deixar de ser exportado não tem espaço para ser absorvido (internamente). Então, tem de diminuir produção e reduzir empregos, o que já começa a ocorrer".

"Virou um momento muito dramático, nunca vi igual, e com dificuldades de se reverter. A solução não demandará uma semana ou uma simples palavra oficial", alega Francisco Turra, com uma posição pouco otimista. Maggi, ainda, estimou que as perdas com exportações de carne poderiam chegar a US$ 1,5 bilhão, se a crise não for solucionada rapidamente.

Mas há esperança de que a crise da carne seja revertida, aos poucos. Embora a União Europeia permaneça fechada para comercialização, neste sábado (25), China, Egito e Chile disseram que vão reabrir seus mercados para as carnes brasileiras, exceto para os frigoríficos investigados pela operação. #exportação