Após a polêmica e o escândalo da carne no Brasil, os países suspenderam a importação de carnes brasileiras. Mas parece que a situação está se revertendo e alguns países estão tentando confiar novamente. A #China, que é um dos maiores importadores de carne, resolveu voltar a importar o produto brasileiro. Eles apenas manterão a suspensão para os vinte frigoríficos que estão envolvidos na operação ''#Carne Fraca''.

China e Hong Kong representam 30% da exportação de carne brasileira, mas Hong Kong resolveu manter a suspensão. Por outro lado o Chile foi na mesma linha da China e retomou a exportação de carne restringindo apenas os frigoríficos envolvidos.

Publicidade
Publicidade

Associação defende o setor

A associação Brasileira dos Exportadores de Carne disse que o problema não é o sistema sanitário e sim a corrupção. Eles não querem a punição de todo o setor, apenas dos envolvidos. Três dos frigoríficos investigados terão que retirar seus produtos das prateleiras dos mercados. As pessoas que compraram terão o direito de pedir o dinheiro de volta. Os frigoríficos são Peccin, Souza Ramos e Transmeat.

O consumidor que quiser identificar o que é alvo do recall deve observar o SIF nas embalagens. Peccin SIF: 2155, Souza Ramos SIF: 4040, e Transmeat SIF: 4644.

As empresas Transmeat e Souza Ramos já recorreram da decisão. A Peccin Agroindustrial não se manifestou. O Procon do Paraná já alertou os consumidores para que não comprem produtos das empresas citadas. Por enquanto as outras empresas que são alvo das investigações não sofreram recall, mas a possibilidade não está descartada.

Publicidade

A PF continua a varredura para desmascarar outros possíveis frigoríficos que podem estar envolvidos.

Os brasileiros ainda estão com medo de consumir a carne bovina e os embutidos que foram alvo das investigações. Algumas famílias resolveram cortar a carne bovina e embutidos até que se sintam seguros para voltar a consumi-los. O governo diz que é seguro e que os brasileiros não tem com o que se preocupar, mas isso não tem convencido os consumidores. #Polêmica