Macaé registrou ótima performance em arrecadações de tributos em janeiro e fevereiro de 2017. Boa parte desse mérito é devido aos royalties, que chegaram em um momento em que o fantasma da crise assola a Capital Nacional do Petróleo. Como o capital de giro da cidade vive essencialmente desse recurso, bons ventos de otimismo com alta dos valores recebidos esse ano em relação a 2016, mostram que a cidade começou a entrar em uma nova Era econômica, como exemplo de Angra dos Reis, que ficou bem movimentada economicamente quando o FPSO MV29 da MODEC chegou no Estaleiro Brasfels esta semana..

Publicidade

Publicidade

No 1º bimestre deste ano, cerca de R$ 71 milhões somaram-se ao capital econômico da cidade devido aos repasses realizados de modo mensal oriundos do Tesouro Nacional, razoavelmente alto para uma prefeitura que "respira crise", mas que, na verdade, é o único lugar do norte do estado que potencialmente pode bater a marca de R$ 2 bilhões em até 1 ano de capital arrecadado. Logo a seguir, compare os valores recebidos em 2016 e 2017.

Nos 2 primeiros meses do ano passado (2016), a cidade sofreu uma diminuição esmagadora de repasses advindos da indústria petrolífera, que chegou na ordem de R$ 49 milhões pagos pelo Tesouro Nacional em 2 vezes. Neste ano, com as previsões orçamentárias diminuídas, que aliás são as menores em 5 anos, Macaé conseguiu uma arrecadação superior dos royalties também em duas parcelas, uma de R$ 34 milhões e outra de R$ 37 milhões, chegando a soma de R$ 71 milhões de reais em repasses.

Notoriamente, percebe-se uma diferença de 31% em relação às arrecadações do ano passado no mesmo período.

Publicidade

Se a lei do "empréstimo dos royalties" (empréstimo que colocaria as arrecadações futuras das explorações petrolíferas da cidade como garantia de pagamento) fosse consumado, esse fôlego financeiro que vivemos no momento, não seria realidade.

A alta dessas arrecadações se deve ao fato de que o petróleo nacional vem se valorizando nos últimos meses no mercado global. Pouco a pouco, Macaé ou mais conhecida como a Capital Nacional do Petróleo, vai retomando suas médias regulares de repasses dos royalties e, provavelmente, será uma das primeiras dessa indústria que mostrará real recuperação. #Economia