Por conta do número alto de assédio feminino, do histórico de atitudes machistas e da insegurança que as mulheres sofrem diariamente ao pegar um táxi, foi lançado uma frota de “táxi rosa” que começou atuar no final de 2016.

Uma pesquisa feita pela empresa de táxi 99 detectou que 56% das usuárias prefeririam que tivesse uma opção de ser atendida por outra #Mulher.

Sandra Regina de Santana Alves, taxista, afirmou para a Folha de São Paulo, ter ouvido vários relatos de passageiras que receberam mensagens de texto no celular de convites para jantar, após ter chamado um táxi pelo aplicativo e ter deixado registrado o número de telefone, como é de praxe.

Publicidade
Publicidade

Por conta disso, na mesma pesquisa acima citada, 23% das passageiras achavam importante que o motorista não tivesse acesso aos dados da usuária.

Nova empresa de táxi

Foi desta forma que Gabriela Correa, decidiu criar um aplicativo apenas para #mulheres. Em 2016 ela sofreu assédio e insegurança ao chamar um táxi pelo aplicativo e decidiu fazer algo a respeito. Com isso ela criou o Lady Driver.

Em entrevista para a revista Pequenas Empresas Grandes Negócios, Gabriela disse que além das passageiras sentirem-se inseguras, as taxistas também se sentiam da mesma forma nos aplicativos comuns e, naturalmente, migraram para o feminino.

O aplicativo foi lançado agora em março de 2017, mas já vinha sendo trabalhado há um ano.

Gabriela conta que, após a crise dos anos de 2015 e 2016 ficou desempregada, aproveitou o momento e após ter a ideia do aplicativo começou a trabalhar em cima dele.

Publicidade

Segundo ela direcionou todo seu tempo e esforços e, valeu a pena.

A empresa também gerou empregos para outras mulheres, uma vez que conta com 15 funcionários e 2 mil motoristas cadastradas, além das sócias de Gabriela, que são sua irmã, Raquel e sua cunhada Bianca Saad.

Até o final do ano, as sócias pretendem expandir o serviço para outras cidades brasileiras e intencionam chegar a 10 mil motoristas.

Gabriela conta que receberam a autorização da cidade de São Paulo para funcionar, no dia 08 de março, Dia Internacional da Mulher. #Assédio