A #receita Federal do Brasil já disponibiliza desde o fim do mês de fevereiro, o programa do Imposto de Renda para ser baixado em seu portal. Costumeiramente, há novidades a cada ano . Porém, o contribuinte deve prestar atenção a elas a fim de evitar dores de cabeça futuras. Vamos conferir cada uma dessas inovações a seguir: #Dinheiro #Blasting News Brasil

  • O contribuinte tem um bom prazo para fazer e preencher a declaração: os meses de março e abril são o tempo dado pela Receita Federal para que cada um se organize, busque ou imprima os comprovantes e documentos necessários. Assim mesmo, não deixe essa etapa para a última hora ou último instante;
  • Estará isento de declarar imposto de renda quem recebeu no ano de 2016 vencimentos de até de R$ 28.559,70. Portanto, verifique se no seu informe de rendimentos, você recebeu mais do que o valor. Se sim, não tem escapatória;
  • O programa versão 2017 do IR apresenta uma inovação: se antes era necessário baixar dois programas – um para fazer a declaração e o outro para transmiti-la via Internet, agora, ficou mais fácil. É que o ReceitaNet já está embutido no programa da Declaração. Ou seja, em vez de baixar dois softwares, faz-se o download de apenas um. Mesmo que você insista, o portal da Receita disponibiliza apenas o Programa da Declaração;
  • Se você tem filhos ou algum dependente legal abaixo dos 12 anos e ele não tem CPF emitido, é bom providenciar porque a Receita está exigindo esse ano. O software vem com a obrigatoriedade de inserir o CPF no respectivo campo. Caso não haja CPF, o programa não reconhece as despesas a serem deduzidas e, então, haverá um aumento no pagamento do Imposto de Renda;
  • Uma dica interessante é que o contribuinte que queira fazer por si a declaração, preste muita atenção tanto no lançamento dos números como no cálculo deles. Muitas declarações são rejeitadas por falha no preenchimento ou por misturarem cálculos que pertencem a outro item diferente daquele que se utiliza no momento;
  • Continuando com as dicas: se você não possui despesas médicas ou escolares, o melhor é não cair na tentação de lançar dados fictícios. Essas despesas têm que ser comprovadas e se a Receita Federal checar incongruências ou “absurdos”, com certeza, vai cismar com você. Num belo dia, você será convidado a dar explicações. Por isso, guarde as suas últimas cinco declarações na gaveta. Esse é o prazo legal para se guardar declarações. Nada de jogar no lixo antes desse prazo;
  • Outro erro que dificulta é quanto a declarações de bens. O mais recomendável é que se preencha com o valor de compra. Geralmente, o contribuinte lança com o valor do imóvel durante o ano de exercício. Esse procedimento não deve ser seguido, pois se houve valorização do imóvel, a Receita entende que se guardaram todos os recibos e notas fiscais oriundas de reformas e melhorias;
  • Um último ponto e, talvez o mais importante: de acordo com o calendário oficial divulgado pela Receita, o prazo fatal para entrega aos servidores é 28 de abril. Mais uma vez, não deixe para última hora. Por duas razões: quanto mais perto do prazo fatal, maior a probabilidade na demora da transmissão e há perigo de sua declaração não ser entregue a tempo. A outra é que os dois últimos dias de abril caem num final de semana. O leão também descansa nos finais de semana. Melhor não se deixar cair pelas suas garras.