Abrir capital na Bolsa de Valores é um processo complexo e burocrático. Também conhecido na sigla em inglês IPO (Initial Public Offering), o procedimento é realizado por empresas que buscam reunir recursos para financiar projetos de expansão do negócio ou pagar dívidas.

Quando há grande fluxo de aberturas de capital na Bolsa de um país, pode ser um indício de que a #Economia está se fortalecendo. Nesse sentido, no Brasil, a recente desaceleração da economia provocou a queda expressiva de pedidos de IPO na Bovespa. Desde 2014, apenas uma abertura de capital foi feita por ano.

No entanto, agora em 2017, o cenário parece estar mudando.

Publicidade
Publicidade

Já foram realizados três IPOs na Bolsa brasileira e há expectativa de que ocorram ao menos 10 durante o ano. Um deles, pelo que tudo indica, pode ser da rede de supermercados Carrefour. Outras estimativas do mercado são mais otimistas e indicam até 40 aberturas de capital em 2017.

Muitos especialistas da área acreditam que a abertura de capital de diversas empresas este ano pode estar sinalizando uma perspectiva de melhora da economia. Deste modo, se isso ocorrer de fato e ocasionar em crescimento econômico, podem ser criados novos postos de trabalho e novas oportunidades de investimento para milhares de brasileiros.

Nos primeiros quatro meses do ano, ocorreram os IPOs da locadora de veículos Movida, da rede de análises laboratoriais Hermes Pardini e, mais recentemente, da empresa aérea Azul.

Publicidade

Os três juntos chegaram a movimentar mais de R$ 3 bilhões no mercado.

Os número são interessantes, mas não desbancaram a marca alcançada em 2013, quando foram movimentados aproximadamente R$ 17,2 bilhões. Outro recorde que permanece intacto é o de 2007, ano em que ocorreram 64 IPOs na Bolsa brasileira e que somaram mais de R$ 55 bilhões.

Os principais fatores para aumentar as possibilidades de novos processos são a aprovação de projetos importantes para a retomada econômica e corte nos juros. Dessa forma, a perspectiva do mercado em relação às ofertas iniciais de 2017 tem feito com que investidores brasileiros tenham suas atenções voltadas para as negociações na BM&F Bovespa.

Deste modo, a empolgação em relação ao procedimento e à possibilidade de novos investimentos no país não podem encobrir a cautela na hora de investir. A abertura de capital de uma empresa pode ser bastante interessante para realizar lucros com ações, mas é importante atuar com planejamento e segurança.

Os brasileiros que pretendem investir em #ações de novas companhias na #bolsa de valores precisam traçar um plano estratégico detalhado.

Publicidade

E, caso seja necessário, buscar ajuda especializada. Isso porque é preciso avaliar o contexto de forma detalhada para compreender se a oportunidade vale a pena e, muitas vezes, essa análise só pode ser realizada por quem tem anos de experiência e qualificação neste mercado.

Uma dica essencial é que a decisão de investimento seja feita com base numa visão de longo prazo. E, para tanto, pode ser preciso buscar documentos divulgados pela própria empresa em processo de IPO, como balanços e relatórios. Dessa forma, o investidor estará munido de informações importantes para identificar as reais chances de a abertura de capital ser positiva.

Entre os fatores a serem levados em consideração antes de adquirir ativos de empresas que estão entrando na Bolsa, são o desempenho da companhia em seu setor de atuação, os números dos balanços financeiros mais recentes, e dados sobre seus concorrentes.