Próxima de votação, a #reforma trabalhista não está na confiança dos investidores brasileiros para ser aprovada. Em pesquisa realizada pelo Blog de Valor, foi visto que mais de 50% do empresariado brasileiro não acredita que as reformas - tanto trabalhista como previdenciária - terão aprovação nas duas casas legislativas brasileiras.

Para o educador financeiro, André Bona, isso se trata de ver o presente e analisar o futuro, algo que os investidores fazem bem. "O investidor seja brasileiro ou de outro país sempre visualiza o futuro, mas com muita atenção no que está acontecendo no presente. A forma que vem governando, junto com os últimos escândalos, abala a confiança do presidente", diz Bona.

Publicidade
Publicidade

Na pesquisa, foram entrevistados 508 investidores, e 64% não acreditam que as reformas passarão pelas duas casas em Brasília. Números como estes tem sido rotineiros nas avaliações feitas por institutos, já que a cada dia Michel Temer precisa esclarecer processos e denúncias. "É importante que o presidente possa sobreviver a tantas denúncias que aparecem na mídia. O governo precisa se manter, antes de tudo, para depois buscar a confiança do investidor. Este, fica desacreditado e começa a investir menos no país e nas empresas brasileiras", comenta o educador. Contraditoriamente, os investidores acreditam que o Temer continuará até o fim de 2018.

Em uma segunda pergunta, 57% acreditam que o atual Presidente seguirá no cargo mesmo com todos os escândalos que está envolvido. A governança de Temer teve uma grande crise quando foram divulgados os áudios do empresário Joesley Batista, um dos donos da empresa JBS.

Publicidade

Um dia após o fato, houve uma crescente alta da moeda americana e até o "circuit break" na Bovespa. Travando todo o sistema pela queda forte que o índice brasileiro sofreu. "Ter esta confiança de que irá terminar o governo mostra que os investidores acreditam na forma de trabalhar a longo prazo do Presidente Temer. As últimas denúncias foram muito fortes e como está próxima a votação, pode estar aí a descrença da não aprovação", comenta André Bona

Como investir?

O educador comenta sobre os #investimentos. Deve o interessado em aplicar o seu #Dinheiro pensar a longo prazo e entender que perdas de capital graças a alta volatilidade e também a lenta recuperação na economia irá fazer o dinheiro não render tanto. É momento de diversificar.

"Há investimentos para todas as frentes e todos os momentos, seja em crise, ou momentos mais calmos. A diversificação dos investimentos é ideal para todos os momentos, pois se existe a perda em algum lado, no outro há ganhos, é assim que se faz uma boa gestão e operação com o capital", finaliza o educador financeiro.