A empresa japonesa Sony decidiu, nesta quinta-feira (29), produzir novamente os discos de vinil. Sendo algo visto como raridade e ganhado grande admiração por boa parte do público que gosta dos famosos “bolachões”, duas fábricas no Japão já estão em processo de produção dos discos. A volta ocorre pela alta procura que vem ocorrendo e pela qualidade diferenciada que existe na #Música, quando é tocada nas vitrolas.

Pausada a produção em 1989, pela grande procura dos CDs, a #Sony quer agora aproveitar os lançamentos que vem ocorrendo neste formato e também o público que compra os discos em algumas lojas. No Brasil, é comum nos centros das grandes cidades, lojas venderem os discos de vinil e terem bom lucro neste setor.

Publicidade
Publicidade

A Sony Music já anunciou a instalação no centro de Tóquio, de um estúdio que irá gravar os discos dos artistas mais famosos, sempre buscando a melhor qualidade do som. As ações da empresa estão voltadas, nesta retomada da produção, apenas para o Japão. É possível que seja expandido para outros países, chegando até o Brasil. Os Números de vendas japonesas dos discos mostram um aumento de oito vezes na comparação entre 2016 e 2010.

Dados em outros países mostram que as vendas também estão crescendo e pode ser uma oportunidade para novas empresas musicais produzirem em uma demanda mais alta. No Reino Unido, a música digital perdeu nas vendas para o vinil, e na Finlândia, a GZ Media, empresa que em 1976 produzia mais de 10 milhões de discos de vinil voltou a fabricar já em 2017, e dados da própria fábrica mostram uma demanda de 24 milhões de discos.

Publicidade

Para os lados da América, nos Estados Unidos, no último ano mais de 15 milhões de discos de vinil foram vendidos.

Por aqui no Brasil, o sucesso também é grande. Em algumas cidades pelo país é comum ter feiras de vinil, onde admiradores dos discos negociam os seus com os vendedores e também adquiri novos, podendo achar alguma raridade entre os velhos plásticos que envolvem os discos. Em Fortaleza, no Mercado do Pinhão, aconteceu a “Afins de Vitrola” reunindo mais de 22 expositores. São Paulo também tem seu local para encontrar discos de vinil, seja no centro ou na famosa Galeria do Rock.

Ações

Com o anúncio da produção na capital japonesa, a ação do conglomerado está em alta na bolsa de Tóquio em 1,98% sendo o preço de 1902 Ienes, algo em torno de R$ 54,13 - dados até o fechamento da matéria às 3h06am – O índice de Nova Iorque também foi de alta para a Sony, chegando a 2,63% na última quarta-feira. As ações da empresa não são negociadas na Bovespa, índice mais importante do Brasil. #discodevinil