Na tarde desta quarta-feira (12), a notícia da condenação [VIDEO] do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a nove anos e seis meses de prisão, por corrupção e lavagem de dinheiro no caso envolvendo um triplex no Guarujá, afastando-o das presidenciáveis de 2018, afetou o mercado financeiro.

O #dólar americano já apresentava uma queda desde a abertura das bolsas, muito em razão da aprovação da reforma trabalhista, na noite desta terça-feira ontem (11) no Senado brasileiro. Outro motivo estaria relacionado ao aumento dos juros do banco central norte-americano. E com a condenação de ex-presidente, a tendência foi baixar ainda mais.

Publicidade
Publicidade

Conforme Pablo Spyer, o mercado entendeu que devido à condenação de Lula, as probabilidades dele se candidatar à presidência em 2018 são mínimas.

A moeda atingiu o menor nível intradia desde o dia 17 de maio, pregão que antecedeu a delação dos empresários do grupo J&F que envolveu o presidente Michel Temer em esquemas de corrupção passiva. Naquele dia, o dólar fechou a 3,0955 reais. Na tarde desta quarta-feira, às 14h40 a moeda americana atingiu o valor de 3,2097 na venda, recuando 1,34%. Chegou a mínima de 3,2073 reais.

Fatores determinantes

Segundo especialistas, a aprovação das reformas trabalhistas foram determinantes para baixar o valor da moeda americana frente ao real.

Ainda que denunciado e investigado por crimes de corrupção, Michel Temer conseguiu no congresso a aprovação de um de seus principais projetos de governo.

Publicidade

A medida impopular, como muitos a classificam, é vista com bons olhos no mercado financeiro.

As demais pautas pretendidas pelo presidente da República, como a #Reforma da Previdência, também são apostas visadas pelas instituições financeiras.

Alessandro Faganello, operador da Advanced Corretora, comentou com otimismo que, apesar de a votação de ontem ter sido folgada, ela serve como termômetro para a aprovação das demais reformas, mesmo que Michel Temer seja deposto do cargo.

Cenário mundial

Janet Yellen, chair do Federal Reserve, em discurso afirmou hoje que não há necessidade de aumentar muito a taxa de juros. "Taxas mais altas na maior economia do mundo têm potencial para atrair capital hoje aplicado em outros mercados, como o brasileiro", declarou.

Cotações do dia

Confira a cotação desta quarta-feira (12) das principais moedas:

Dólar comercial - R$ 3,2097 (compra) / R$ 3,2105 (venda) - variação de -1,31%.

Euro - R$ 3,6632 (compra) / R$ 3,6645 (venda) - variação de -1,83%.

Libra - R$ 4,1367 (compra) / R$ 4,1383 (venda) - variação de -1,03%. #reforma trabalhista