A ascensão vertiginosa do mercado de #ações ao redor do mundo tem estimado os analistas do mercado financeiro a fazer boas avaliações. Porém, as elevações nas taxas de juros ameaçam desencadear uma massiva venda de ativos.

Bem, mesmo os dados macroeconômicos desapontando os investidores, os mesmos continuam a comprar ações, baseando-se em avaliações hiper otimistas.

Mas o que é uma crise no mercado de ações?

Simplesmente é uma súbita queda dramática nos preços das ações em uma seção transversal significativa de um mercado de ações. Embora não exista um limite específico para falhas no mercado de ações, elas geralmente são definidas como uma queda de mais de 10% em um índice de ações ao longo de um ou dois dias.

Publicidade
Publicidade

Qual é a diferença de uma crise e uma correção?

A velocidade da queda é o que diferencia uma correção rotineira, que acontece no mercado de ações geralmente após um período de alta de uma crise no mercado de ações. Quando uma crise ocorre, o mercado passa por uma queda de dois dígitos em um curto período de tempo.

Memórias de 1929

Na pior quebra do mercado de ações da história mundial, a Dow Jones experimentou uma queda de 25% em quatro dias, começando em 24 de outubro e perdendo trinta biliões de dólares em valor de mercado durante estes dias. O mercado continuou em queda até 1932, quando ficou muito menor do que era em 1929.

A segunda feira negra, em 1987

A Dow Jones caiu 22% em uma única sessão e 500 biliões de dólares foram perdidos.

A bolha da tecnologia, em 2000

O índice de tecnologia da Nasdaq subiu fortemente durante os anos anteriores ao que foi chamado de bolha por sites ou empresas que trabalhavam majoritariamente na internet, em um mercado novo onde as pessoas viam grandes oportunidades de lucros, baseadas no alto investimento feito por estas empresas.

Publicidade

Porém, o excesso de confiança, a pura especulação e a falência de muitas das empresas causaram a explosão da bolha. O ex presidente do Fed, Alan Greenspan, destacou a bolha do mercado de ações como "exuberância irracional".

A grande recessão, em 2008

Esse ano aconteceu o boom da especulação imobiliária nos Estados Unidos, em que pessoas conseguiam financiar casas com poucas comprovações de que realmente poderiam arcar com as prestações. Isso veio ao conhecimento geral em setembro de 2008, quando o índice Dow Jones caiu 777 pontos durante o dia. #Economia #Crise econômica