A #poupança se caracteriza por ser o porto seguro dos brasileiros que não sabem investir, mas também não querem que seu dinheiro fique parado. O que pouca gente sabe é que o rendimento da poupança é muito baixo se comparado a outras formas de renda fixa.

No momento, a poupança rende 0.55% ao mês, o que dá um rendimento de 6,6% ao final do ano, Vale lembrar que a inflação esperada para o ano de 2017 é de 3,33%, deixando apenas 3,27% de rendimento real para a poupança.

Tesouro direto x poupança

A diferença de rentabilidade entre os dois investimentos é grande, porém não fica só nisso. A poupança por mais que seja um investimento de renda fixa, vária com a taxa SELIC, enquanto o tesouro direto paga a variação do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) e mais os juros prefixados, o que pode fazer o rendimento do tesouro direto chegar a dois dígitos.

Publicidade
Publicidade

Já na liquidez, a vantagem é da poupança, já que com ela o investidor pode retirar o seu dinheiro quando quiser. No tesouro, é até possível retirar o dinheiro investido rapidamente, pois o governo promove recompras diárias dos papéis. Entretanto, caso a venda seja feita antes da data de vencimento definida no momento da compra, o investidor perde os juros contratados.

Em relação aos impostos e aos custos, a poupança é isenta de IOF (Imposto sobre operações financeiras) no caso de pessoa física, mas para pessoa jurídica o imposto de renda é de 22,5%.

O tesouro direto é tributado em 22,5% pelo imposto de renda no caso de pessoa física, e vai diminuindo de acordo com os meses, chegando a 15% após 24 meses. Ele está sujeito ao IOF caso a venda seja feita em menos de 30 dias da data da compra.

Publicidade

Pela segurança, o tesouro direto é garantido pelo governo, além de não apresentar riscos de perda de valor já que tem sua rentabilidade sobre o IPCA e a Selic, como dito acima.

Já a poupança apresenta alguns pequenos riscos, por exemplo: se o investidor possui mais de R$ 250 mil investidos em uma caderneta de poupança, ele assumirá o risco de perder a parte que excede os R$ 250 mil, já que a poupança é garantida pelo FGC (Fundo garantidor de crédito) que só vai até o valor mencionado.

Também existe o risco do seu investimento na poupança perder poder de compra, caso a inflação do ano seja maior do que os juros da poupança somados. O ano de 2015 foi um exemplo disso. No ano, o IPCA calculou um aumento de 10,67% dos preços no país, enquanto o rendimento anual da poupança naquele ano foi de 8.07%. #rendimento poupança #juros da poupança