Publicidade
Publicidade

A Receita Federal liberou, nesta terça-feira, dia 8, a consulta ao 3º lote de restituição do #Imposto de Renda deste ano, mas também podem ser consultadas as restituições de 2008 até 2016 de quem caiu na malha fina e que agora foram liberadas pela RF. Para saber se a sua declaração foi liberada é só acessar o site da Receita Federal, ou então ligar para o número 146.

Ao todo são mais de 2 milhões de contribuintes que terão direito aos R$ 3 milhões, que começam a ser pagos já no próximo dia 15, terça-feira, sendo que o dinheiro será depositado na conta que o contribuinte indicou quando fez a declaração do seu Imposto de Renda.

Publicidade

Os idosos e também os deficientes físicos e mentais, além de pessoas com doenças graves, terão prioridade.

O valor a ser depositado sofrerá uma correção pela Selic, só que, após o depósito ser feito, não terá mais nenhum reajuste. Esta correção vai de 2,54% a 97,83%, de acordo com o ano.

Se algum contribuinte fizer a consulta e ver que o seu dinheiro não foi depositado, poderá entrar em contato com o Banco do Brasil, através dos telefones:

  • 4004-0001 - para quem mora nas capitais.
  • 0800 729 0001 - para demais localidades.

Deficientes auditivos devem ligar para o número: 0800 729 00088.

Nova faixa do Imposto de Renda poderá ser de 35%

O Ministério da Fazenda está analisando a possibilidade de elevar a arrecadação do Tesouro e subir a faixa do Imposto de Renda para 35% é uma das alternativas sugeridas.

Publicidade

Criando uma alíquota para o Imposto de Renda, que atinja aqueles cidadãos com um faturamento mais alto, o MF conseguiria uma boa arrecadação. Atualmente, a maior tarifa para as pessoas físicas é de 27,5%. Se a nova faixa for aprovada ainda este ano, em 2018 o #Governo poderia contar com um reforço extra para os cofres.

Mas, tais medidas precisariam passar no Congresso, através de projeto de lei e será preciso correr contra o tempo, já que faltam poucos meses para acabar o ano. Só que, no governo, muita gente sabe que a popularidade de Michel Temer está em baixa e dificilmente ele conseguiria aprovar uma medida impopular como esta.

O presidente já providenciou uma força-tarefa para conseguir fazer com que o Congresso aprove outras medidas urgentes, entre elas a reoneração da folha e também o Refis.

Nos próximos dias, o governo se reúne com alguns aliados para tentar um acordo com as principais alianças no Congresso, mas o ministro Henrique Meirelles já demonstrou interesse em fechar algumas negociações, principalmente no que diz respeito a criar um novo Refis. #Trabalho