A poupança, um dos mais conhecidos meios de investimento e veículo utilizado para poupar, é sempre fonte de intensa discussão em relação a ser um investimento rentável ou não, em função dos indicadores de #Inflação do país ter um histórico bem alto. Além de sempre estar em pauta, a análise do poder de compra, neste caso (inflação x #poupança), há outros tipos de #investimentos que se comparados com a poupança, estão acima dela e são mais vantajosos.

Em 2017, considerando-se o período de janeiro a julho, a poupança registrou retorno de 4,25% contra 1,43% do principal indicador de preços do Brasil, o IPCA. Comparando os retornos, podemos estipular o retorno real descontando a inflação da poupança (lembrando que o cálculo não é simplesmente pela diferença), assim, o valor de ganho real da poupança acumulado em 2017 é de 2,79%.

Publicidade
Publicidade

Essa situação é o melhor desempenho observado desde o mesmo período para 2006, quando o ganho real foi de 3,04%, segundo estudos da plataforma Economatica.

No período de 12 meses (agosto de 2016 a julho de 2017), a poupança obteve retorno de 7,85% e ganho real de exatos 5%.

Então a poupança é o melhor investimento?

Não. Outros ativos tiveram retornos melhores que a poupança em 2017 e nos 12 meses. Em longo prazo não devemos pensar na poupança como investimento, e, como efeito comparativo, o retorno da Selic (taxa básica de juros e indicador utilizado para outros investimentos de renda fixa) em 2017 foi de 6,55%, com um ganho real de 5,05%. Já o Ibovespa possui retorno de 9,45% e ganho real de 7,91%, por exemplo.

Para ilustrar melhor, segue abaixo um resumo dos ganhos reais:

  • Poupança

2017: 2,78%; 12 meses: 5%;

  • Selic

2017: 5,05%; 12 meses: 9,58%;

  • Ibovespa

2017: 7,91%; 12 meses: 11,99%.

Publicidade

Resumindo, os poupadores de plantão podem sim comemorar, pois a poupança está conseguindo corrigir o efeito inflacionário que destrói o poder de compra do consumidor, mas você, investidor, não pode se contentar apenas com isso. Apenas dois indicadores de mercado (Selic e Ibovespa) foram citados e já vimos que no curto prazo também estão com ganhos expressivos e bem acima da poupança.

Atualmente, ainda é um desafio mostrar para algumas pessoas que o acesso ao investimento é mais fácil do que parece, e também que existem ativos mais vantajosos que a poupança. Ao longo dos artigos que disponibilizaremos, traremos outras opções dentro do que expomos acima para tentar sempre levar o acesso à informação a todos.