Publicidade
Publicidade

#Joesley Batista e #valdemiro Santiago estão no alvo de uma polêmica. O dono da Friboi [VIDEO] e o líder da Igreja Mundial do Reino de Deus estão em uma negociação milionária. De acordo com informações da coluna Radar, da revista Veja, os dois estão negociando o Canal Rural por R$ 80 milhões.

O dono da Friboi e Valdemiro estão negociando o valor, que chega a cifras milionárias. Além de Valdemiro, outras três pessoas/empresas estão interessadas na compra do Canal Rural, que é especializado no setor agropecuário.

Mesmo preso, Joesley mantém negócios milionários em vários setores

Mesmo sendo um empresário da carne em todo o mundo, Joesley Batista tem negócios em vários outros setores.

Publicidade

A televisão é apenas um deles e Valdemiro, que quer ver o seu império religioso crescer, está interessado na compra de uma dessas empresas.

O Canal Rural serve para divulgar a importância da carne no Brasil. Todo o setor de pecuária é mostrado, mas a emissora não costuma ter muita audiência, por isso, o seu valor não é tão alto assim quando comparado a outros empreendimentos televisivos, que podem chegar a cifras bilionárias.

Joesley Batista quer pelo menos R$ 80 milhões para vender o Canal Rural

Seja quem for o comprador, a transação deve render aproximadamente R$ 80 milhões ao empresário-delator. No entanto, quem trabalha no Canal Rural, segundo a Veja, estaria incentivando para que a venda não acontecesse para a Igreja Mundial do Reino de Deus. Eles têm interesse que seja outro o comprador da emissora e que o canal tenha outro destino, que não seja fazer a exibição de cultos religiosos.

Publicidade

Delação de Joesley Batista pode ter benefícios anulados, após vazamentos de áudios bombas

O empresário Joesley Batista e um dos ex-diretores de sua empresa, Ricardo Saud, foram presos neste domingo (10), na sede da Polícia Federal em São Paulo. A prisão ocorreu, após o vazamento de áudios em que Saud e Joesley parecem tentar incriminar até mesmo os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

Agora discute-se que o cancelamento benefício de liberdade para Joesley, pois, para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, eles teriam infringindo a principal regra da delação premiada. Ao não contar segredos de crimes graves, que é o que indicam as novas gravações, eles teria cometido um delito grave.

Lembrando que Joesley Batista, em suas delações, chegou a atacar até mesmo o presidente da República, Michel Temer, do PMDB. Ele disse que Temer aprovou uma mesada para o ex-deputado federal Eduardo Cunha ficar calado.