Publicidade
Publicidade

Você já ouviu falar em negócio social? Se a sua resposta for negativa, não se preocupe! Até hoje, muita gente ainda não sabe o que esse modelo significa e nem o que representa para a economia e a sociedade.

Será que tem a ver com caridade? Será que é possível competir de igual para igual com empresas de outros setores? Qualquer pessoa pode ter um negócio social? Como ele funciona na prática?

Se a pergunta do começo deste artigo gerou essas e outras dúvidas, então você está no lugar certo! Continue a leitura e saiba tudo sobre o negócio social, um setor que vem crescendo e se estruturando cada vez mais no Brasil e no mundo.

Publicidade

Afinal, o que é o negócio social?

É a empresa que existe com o objetivo de solucionar uma questão social que o Estado, por algum motivo, não consegue resolver sozinho. A atividade desenvolvida deve beneficiar diretamente pessoas de baixa renda, gerando riqueza e novas perspectivas para uma comunidade.

Esse conceito surgiu na década de 1970 com o economista de Bangladesh, ganhador do Prêmio Nobel da Paz, Muhammad Yunus. Inconformado com a pobreza do seu país, ele criou um banco de microcrédito para as pessoas mais necessitadas e se tornou uma inspiração para empreendedores de todo o mundo.

Mas ao contrário do que possa parecer, esse modelo de negócio segue a lógica do capitalismo, pois é preciso garantir a sua sustentabilidade financeira por meio da geração de receitas próprias.

Empreendimentos sociais podem, inclusive, gerar lucro, desde que não deixem de lado o seu objetivo social.

Publicidade

Além disso, esse lucro deve preferencialmente ser reinvestido na empresa para que ela possa ampliar ainda mais seus benefícios sociais.

Portanto, são características do negócio social:

  • foco do #trabalho nas populações de baixa renda;
  • objetivo principal de solucionar um problema social;
  • potencial de expansão e aplicação em outras regiões por outros gestores;
  • rentabilidade que garante independência de doações ou subsídios;
  • lucro destinado à sustentabilidade do negócio e ampliação dos benefícios.

Que setor é esse?

Com essas características, o negócio social não pode ser encaixado nem no segundo setor da economia, no qual estão as empresas da iniciativa privada, e nem no terceiro setor, representado pelas organizações sem fins lucrativos.

Ele está no meio, no chamado setor 2.5, que engloba as empresas que não querem só ganhar dinheiro, mas que também não são simplesmente ONGs ou entidades sem fins lucrativos.

O negócio social também pode ter foco ambiental?

Assim como as questões sociais, os problemas ambientais também representam um importante desafio para a nossa sociedade.

Publicidade

Por isso, muitos investidores engajados em causas ambientais procuram alocar seus recursos em #Negócios cujo foco é a geração de impactos ambientais positivos.

Empresas que visam combater mudanças climáticas ou que lutam pela recuperação de áreas degradadas são exemplos de empreendimentos desse tipo.

O que é preciso para desenvolver um negócio social?

O começo de tudo é o desejo de ajudar a melhorar a vida de um determinado grupo de pessoas. Mas além de vontade, é necessário um mínimo de conhecimento em gestão empresarial para que o negócio social possa crescer e se sustentar.

Por isso, qualquer pessoa com esse interesse e o preparo necessário pode desenvolver um empreendimento social. Seguindo o modelo de qualquer outra empresa, também deverá ser montada uma equipe de gestores e demais colaboradores que terá a missão de solucionar um problema social.

Conheça agora alguns passos essenciais para criar um negócio social.

  1. Definição de um público-alvo e de suas reais necessidades
  2. Escolha de um modelo de negócio adequado ao perfil da sua empresa
  3. Elaboração de um plano de negócios
  4. Execução de um projeto piloto
  5. Obtenção de recursos

Esse é o negócio social, um modelo de #trabalho que permite empreender e, ao mesmo tempo, gerar transformações sociais. Isso é possível por meio da inclusão de grupos de baixa renda que passam a ter acesso a produtos e serviços de qualidade com valores acessíveis.

Com as empresas de outros setores começando a perceber a importância de ter um valor social, o negócio social parece estar chegando para ficar! #empreendedorismo #Trabalho