Publicidade
Publicidade
2

A #Caixa Econômica Federal voltou, a partir desta terça-feira (2), a oferecer aos clientes a linha de empréstimo imobiliário Pró-Cotista, elevando de 50% a 70% a cota para autorizar o financiamento de imóveis usados. O banco havia suspendido a linha de empréstimo no primeiro semestre de 2017 [VIDEO] quando estava passando por uma situação grave e uma queda fortíssima de recursos. Nesta mesma época, a Caixa reduziu o teto de empréstimo de 60% a 70% para imóveis usados.

Agora no início de 2018, a Caixa tem para emprestar aos cotistas mais de R$ 3 bilhões, é um valor menor que os R$ 6 bilhões que foram contratados em 2017.

Publicidade

Segundo Nelson de Souza, vice-presidente de Habitação da Caixa, o retorno da linha de empréstimo é em virtude dos valores serem pequenos, não demandando reservas elevadas de capital do banco.

Ele admitiu que estes recursos deverão ser esgotados rapidamente devido à grande procura pelo financiamento. A linha de financiamento Pró-Cotista é oferecida para os trabalhadores que possuem conta no FGTS [VIDEO] (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço). É uma linha de crédito com valores inferiores, perdendo só para o programa Minha Casa Minha Vida. As taxas de juros chegam a 7,85% ao ano.

Nos últimos anos houve uma grande procura por esta linha de empréstimo em razão da falta de recursos de outras fontes com taxas igualitárias, como a poupança. A participação do programa Pró-Cotista no financiamento de imóveis oferecido pela Caixa tendo um avanço de 1% do ano de 2014 para 13% em 2017.

Publicidade

O teto de financiamento de imóveis usados sofreu aumento, sendo válido apenas para contrato pelo Sistema de Amortização Constante, que oferece a diminuição do valor do parcelamento com o passar do tempo. Em relação aos imóveis novos, não teve nenhuma mudança, mantendo os 80% percentual.

O governo, juntamente com a Caixa, busca uma solução para a ausência de recursos do banco. A Caixa Econômica é responsável por aproximadamente 70% da carteira dos créditos de habitação no Brasil.

Neste ano, ela só irá fazer empréstimos caso tenha recursos próprios para garantir. Isto foi determinado pelas regras que foram previstas em Basileia 3, um acordo internacional que procura garantir solidez ao sistema financeiro.

Por parte do governo, ele conseguiu apoio do Senado para aprovar um projeto de lei que concede autorização para que os recursos do #FGTS sejam utilizados para capitalização da Caixa. Porém, ainda assim, não houve um crescimento conforme o desejado pela direção do banco e do governo. #financiamentoimobiliario