A Medida Provisória 686/2015 que libera R$ 5,18 bilhões para as despesas do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) foi aprovada nesta quarta-feira, dia 7, pelo plenário do Senado. Desta forma, o programa poderá seguir realizando os financiamentos em 2016, pelo menos, no primeiro bimestre do ano.

Grande parte de R$ 4,2 bilhões previstos é direcionado para contratos que já existem e também para a abertura de 61,5 mil vagas ainda este ano. O restante do orçamento, fica para o ano que vem. A matéria, que já foi aprovada pela Câmara do Deputados, agora segue para a sanção da presidente Dilma Rousseff, que provavelmente liberará tendo em vista a falta de apoio atual para sustentar quaisquer possíveis vetos.

Dos recursos pertencentes ao Fies (R$ 4,2 bilhões), serão destinados R$ 400 milhões para a integralização de cotas do Fundo de Garantia de Operações de Crédito Educativo (FGEDUC) que dispensa a exigência de fiador para estudantes de menor renda. e o restante, R$ 578 milhões, para a administração do programa federal.

Regras do FIES

Os estudantes que desejarem concorrer a uma vaga do Fies devem estar dentro de algumas regras: ter alcançado ao menos 450 pontos na média das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ter tirado nota maior que 0 na redação e ter renda familiar de até R$ 2.500,00 reais por pessoa, ou seja, R$ 1.970 reais por mês.

Entendendo o FIES

O Fies é um programa do #Governo federal que oferece financiamento a juros mais baixos para que estudantes de baixa renda possam cursar o ensino superior em universidades privadas conveniadas.

No cenário atual de crise econômica que o país enfrenta, foi cogitado uma possível suspensão do programa porém a mesma foi cancelada por hora.

A presidenta Dilma afirmou em março deste ano que o governo não iria arcar com o reajuste e na última semana, virou notícia que os juros também aumentariam em 2016 e seriam para os estudantes para que o governo conseguisse dar continuidade ao programa. Ainda assim, seriam considerados "baixos". #Educação #Finança