Durante cerimônia realizada nesta quarta-feira, 7, Aloizio Mercadante tomou posse como Ministro da #Educação. O novo ministro destacou que a educação é o maior desafio estratégico do país e que é visto pela presidenta como "a prioridade das prioridades".

O novo ministro destacou os avanços conquistados pelo país nas últimas décadas e apresentou os dados do "modelo inclusivo de crescimento" .

Mercadante também destacou que todo este processo "não será sustentável e definitivo sem a garantia de acesso universal a uma educação de mais qualidade. Pois é a educação o instrumento mais efetivo para a redução das desigualdades". O novo ministro pontuou que a atual conjuntura exige uma nova posição do país, que deve se modernizar no sentido de realizar a "transição para uma sociedade do conhecimento e para a economia inovadora". 

Indo de encontro aos anseios dos movimentos sociais e de outros setores que vêm participando ativamente na construção de políticas públicas em educação, o novo ministro afirmou que o norteador da sua gestão será o Plano Nacional de Educação:

"A bússola de minha gestão será o Plano Nacional de Educação 2014- 2024, que tive o privilégio de contribuir na elaboração e aprovação, como ministro da Educação, por meio de um intenso diálogo com os governadores, prefeitos, secretários de Educação, movimentos sociais, profissionais da educação e parlamentares da Câmara dos Deputados e do Senado Federal".

O novo ministro também assumiu em seu discurso o compromisso com as inovações tecnológicas para a educação, em especial para com a educação a distância. Mercadante também apresentou dados da sua gestão anterior como Ministro da Educação e reafirmou compromisso com a Base Nacional Comum e o Sistema Nacional de Educação.

Cabe ressaltar que o discurso do novo ministro também citou os atuais desafios do MEC em relação aos cortes orçamentários deste ano, segundo ele, é necessário buscar novas fontes de financiamento.

Para a comunidade acadêmica, o novo ministro, prometeu respostas para a reestruturação das avaliações dos programas.  #Governo #Blasting News Brasil