O Programa de Financiamento Estudantil – FIES – existe desde 1999 e visa ajudar alunos de universidades privadas a pagarem o seu curso, caso não possuam condições financeiras. O programa sofreu alguns cortes recentemente, bem como algumas alterações, que se seguidas à risca ainda vão contemplar milhares de pessoas em todo o Brasil.

ENEM

Objeto de denúncias e processos, o ENEM foi determinado como critério para se candidatar ao FIES. Ou seja, não basta preencher os demais requisitos sem ter realizado o ENEM 2015, que ocorrerá nos próximos dias 24 e 25 de outubro. A nota do ENEM varia entre 0 e 1000. Para se candidatar ao programa (não significa conseguir o financiamento, pois é um requisito de participação), o aluno deverá ter aproveitamento mínimo de 450 pontos. Abaixo dessa pontuação não dá direto a participar do FIES do próximo ano. Também não pode zerar na redação.

Taxa de juros e exigência de matrícula antecipada

O aluno deve estar matriculado na instituição de ensino para pedir o FIES. Também podem obter o financiamento, os alunos que tiverem obtido bolsa parcial no PROUNI.

Caso a #universidade em questão permita, poderá também pleitear o FIES os alunos de pós graduação e mestrado. O FIES possui taxa de juros de 6,5% ao ano para todos os cursos de qualquer valor ou universidade.

Reajuste e teto de curso

Com a crise financeira, o #Governo estabeleceu um teto máximo para poder pagar o curso. A partir de agora, apenas cursos com reajustes de até 6,4% poderão ser financiados. Ou seja, todos os cursos de todas as universidades possuem reajustes do valor da mensalidade uma vez por semestre, entretanto, se a faculdade costuma reajustar o valor da mensalidade em 8% ou 10% (que é o mais comum), então não haverá possibilidade de financiar, ainda que os demais requisitos tenham sido preenchidos. Esse teto vale não apenas para os novos contratos, como também para os contratos antigos de alunos que já estão cursando o ensino superior com o FIES.

Qualidade

Apenas cursos com nota máxima no CPC (Indicador de Qualidade das Graduações) poderão ser financiados. Ou seja, se naquela universidade que você estiver matriculado o seu curso obteve nota 4 (resultado das avaliações anuais do ENADE), então este não poderá ser financiado, ao menos que no ano seguinte obtenha a nota máxima, então poderá se inscrever a partir desse novo resultado, mas não do atual.

Fiador

O fiador não é mais obrigatório pelo MEC, mas fica a critério da universidade exigi-lo ou não. #Educação