A maioria dos estudantes não esperava por esse tema que foi uma grande surpresa. A #Violência contra as mulheres vem sendo abordada há muito tempo, mas este ano servindo de tema para a redação do Enem 'plantou uma sementinha', foi o que declarou ao G1 a vítima que empresta o nome à Lei, Maria da Penha.

Neste domingo (25), cerca de 5,7 milhões de candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM), redigiram uma redação que abordou o delicado tema 'violência contra as mulheres'.

A farmacêutica e ativista cearense Maria da Penha Maia Fernandes compareceu a um evento onde era uma das homenageadas e só a ali descobriu qual foi o tema da redação do Enem 2015. 'Uma garota se aproximou e pediu para tirar uma foto e perguntou: 'A senhora sabia que a redação foi sobre a lei Maria da Penha?'. Ela informou ao G1 em entrevista por telefone.

Tema da Redação

"A persistência dá violência contra a mulher na sociedade brasileira" agitou as redes sociais, todo mundo viveu ou já ouviu falar de um caso de violência feminina. Segundo a ativista, é muito importante que a lei seja conhecida e comentada, principalmente nas escolas, isso leva as pessoas a querer saber mais sobre como funciona .

Propostas sugeridas

A lei Maria da Penha está próxima de completar dez anos e já recebeu 237 mil relatos de agressão, números históricos sobre assassinatos de mulheres no Disque 180.

'Os tópicos foram muito bem elaborados dando oportunidade ao aluno para escrever. O poder público precisa se fazer mais presente garantindo assim o funcionamento da lei, evitando que morram mais mulheres'. Afirmou Penha.

Educação e Políticas Públicas

Os tópicos propostos pela ativista cearense são: investimento em mais educação, conscientizando as pessoas que mulheres tem que ser respeitadas em seu direitos humanos, e o fim dessa cultura machista onde o homem pode tudo e a mulher obedece. É necessário ter mais políticas públicas dando voz à mulher, ouvindo suas denúncias, protegendo-a e punindo com mais rigor o agressor. 'Nós não queremos punir o homem, queremos punir homem que não respeita a mulher'. Disse Maria ao G1. #Ataque #Crime